Certas coisas não se encaixam, literalmente..


Com uma covardia ou coragem inovadoras, o Supremo Tribunal Federal decretou que é “justo e bom” (só com aspas mesmo…) unir homem com homem e mulher com mulher.
Sim, tão estranho e incompatível é a frase que contém ambos adjetivos, como a suposta “união”.

Próximos passos na luta homorevolucionária:

1) “adaptar” as definições dos verbetes homem e mulher nos dicionários;
2) “adaptar” trechos e capítulos inteiros de livros de biologia;

E, com o sucesso dos itens 1 e 2, lutar pelos direitos maritais e socio-jurídicos dos seres mais inteligentes do reino animal, como o macaco e o golfinho.
Afinal, o macaco é apenas um ser humano que simplesmente se recusou a ser bípede, e a falar. Que corajosamente lutou contra a opressão da sociedade retrógrada. E portanto merece todo o amparo do Estado.

Ok. Tá bom… falando sério: vamos aproveitar esta vitória da “segunda classe”, para repensar a questão da Pedofilia. É muito sério que se discrimine os cidadãos que desejam de todo o coração amar as crianças. Afinal, a criança não precisa nem opinar. O pedófilo, ou seja, amigo das crianças, além de estar em idade para ser responsável pela criança, e de indicar o que é melhor para ela, ainda pode responder legalmente. Por que nós devemos disperdiçar a juventude em todo o seu frescor e vigor, privando-os dos benefícios que a união estável com um pedófilo pode proporcionar? Ora, os benefícios são tantos! Aliás, é uma brilhante solução para a miséria financeira E intelectual deste país cor-de-rosa! Pedófilos com maiores condições financeiras podem adotar crianças em regime conjugal para custear seus estudos, e proporcionar a eles, vida assaz próspera!
Parem de ser preconceituosos! Os pedófilos só querem amar, e ser felizes!

Por favor, vamos repensar a pedofilia!

E em seguida, vamos rever também aquele negócio de direito de propriedade. Não vamos ser ultrapassados, e insistir na bobagem de que um pobre não pode se apossar de bens do rico, para o seu próprio bem. Não é justo! O mais importante é a igualdade! Custe o que custar, temos que igualar os cidadãos!

É, é difícil falar sério. E olha que eu tentei abrir minha mente nessa…

2 pensamentos sobre “Certas coisas não se encaixam, literalmente..

  1. Salutationis!

    Tuas conclusões são as conclusões necessariamente deduzidas do que os ministros do STF têm dito neste julgamento. É o mesmo que dizer que dos motivos que os levam a votar como votam, se deduz necessariamente a apologia à pedofilia e outras perversões sexuais. Não há nenum salto lógico: é a conclusão óbvia e direta.

    Se os supremos mandatários do judiciário demonstram tanta ignorância até dos princípios elementares da lei natural (que são dos princípios mais primários de direito), é sinal que nosso judiciário não tem mais legitimidade para julgar nada. E infelizmente, o povo não percebe o quanto isso é absurdo e desesperador, e que exige atenção e engajamento de quantos possam sacrificar seu tempo nessa causa. Ou caminharemos em silêncio em direção ao estado policial.

    Pax et Salutis

  2. Pingback: Resposta pública a Marcelo G | O Legado d'O Andarilho

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s