Resposta pública a Chico Lobo e Ricardo Loureiro


Boa madrugada!

novamente, manifestação de apoio à desordem chegou até mim. Novamente comento, na forma de resposta pública. Desta vez, a ocasião foi o encaminhamento dentro de uma lista de discussão ligada às artes cênicas. O manifesto, de autoria de Chico Lobo foi repassado por Ricardo Loureiro e abaixo está extensamente (reconheço) comentado.
Sendo assim, sem delongas, reproduzo o conteúdo do manifesto e a resposta, na sequência, ambos na íntegra (a resposta precisou ser transmitida em 2 partes por e-mail.
De antemão agradeço a gentileza de quem ler tudo.

Paz e Bem
O Andarilho

***

(repassando)

PERIGO HOMOFÓBICO

Enviado por
O nefasto nazismo e o insano Hitler só ganharam força dentro de um estado democrático, num momento em que a Alemanha não se deu conta da serpente venenosa que estava alimentando no seu território.
O mesmo se dá aqui no Brasil: – As correntes conservadoras, fundamentalistas e anacrônicas com nossos tempos a muito vem ganhando força, sustentada pelas prerrogativas da democracia e liberdade de expressão.
Por séculos de pensamento dito “cristão”, as minorias raciais, sexuais e culturais foram sufocadas pelas elites do poder político, econômico e religioso desse país. – A hipocrisia sempre faz morada na cabeça dos oportunistas e dos ignorantes. A bem pouco tempo mesmo, jamais poderíamos ver uma mulher chegar ao mais alto cargo político do país nem um ministro do tribunal federal negro. Não bastou uma Lei Áurea, nem a revolução sexual para que durante muitos anos ainda, mulheres, negros ou até mesmo os praticantes de capoeira tivessem reconhecidos a cidadania que a igualdade democrática prega.
Uma das últimas barreiras sócio-culturais ainda a serem derrubadas é o reconhecimento de cidadania dos homossexuais… Agora que essa parcela de discriminados começa a conquistar direitos iguais como humanamente lhes cabem, vem uma torrente força contrária a querer destruir e impedir avanços político-sócio-culturais importantíssimos para nossa elevação cidadã.
Por outro lado, nós brasileiros ainda não estamos dando conta do grande avanço das forças retrógradas, anacrônicas e fundamentalistas contidas nos discursos fartamente difundidos pelos grandes meios de comunicação de massa das bocas de sacerdotes da mídia…
Garantir o direito ao respeito não obriga ninguém a ser o que não se quer, portanto o PL122 apenas ordena esse direito ao respeito, mas não obriga ninguém a mudar sua opção sexual, nem a casar-se com pessoas do mesmo sexo, mas garante que essas pessoas sejam tratadas de igual forma respeitosa como qualquer outro cidadão… mas há aqueles que se sentem incomodados com uma lei que puna quem destrata ou faça chacota com a diversidade, por isso saem aos brados em suas igrejas televisivas pregando contra essa Lei.
Por conta de meu trabalho e militância, sou obrigado a analisar o conteúdo dos grandes meios de comunicação… e o que tenho notado é que esses “cidadãos” empresários da fé, donos de discursos inflamados e carismáticos tem fomentado o aparecimento de vários JAIR BONSSONARO da vida na política brasileira… Gente que é melhor estar guardada nas chaves da justiça do que solto a proliferar a “santa” inquisição. – E a gente não faz nada… a gente olha isso como se nada afetasse nosso dia-a-dia como sociedade… mas na verdade, eles falam para milhões e são seguidos pelos mais numerosos contingentes de nossa sociedade… gente que num período de eleição faz eleger políticos que vão retroceder substancialmente nossa sociedade e nossa cultura.
A lista desses senhores supostos “donos da palavra de Deus” aumenta à medida que o poder de comunicação cresce em suas antenas de TV… Hoje, eles reúnem milhões de pessoas numa “…Marcha…”, amanhã eles transformam o Brasil num Estado “teocrático”… e quem desobedecê-los no futuro pagará as “penas bíblicas”, em nome de um deus.
Para se ter uma idéia, no dia 1 de junho está sendo organizado uma mega concentração diante do Congresso nacional, chamada pelos líderes religiosos da mídia para exigir que seja retirada de discussão  PL 122… e eles prometem “…abalar as estruturas do poder se não forem ouvidos…” segundo o discurso do “pastor” Silas Malafaia no dia de hoje na Rede Bandeirantes de TV em seu programa da manhã… Lembrando que esse Projeto de Lei criminaliza a homofobia e dá garantias de dignidade à imagem do(a) cidadão(ã) homossexual. Coisa que infelizmente ainda não é levada em prática por não ter sido regulamentado o respectivo artigo que trata da igualdade cidadã na constituição.
Eu penso que a soma das minorias formam a maioria de nosso povo, e se ficarmos de braços cruzados e de boca aberta engolindo moscas enquanto as forças conservadoras avançam, em bem pouco tempo deixaremos de ser um Estado LAICO… é preciso fazer valer a lei e o princípio do ESTADO LAICO, publicar essa discussão e conversar com as pessoas sobre esse fato e suas conseqüências.
Chico Lobo

—————————————–

O texto está repleto de erros mal-intencionados.

Como pode alguém alegar irresponsavelmente que homossexuais “não possuem cidadania reconhecida”? Acaso antes de considerar-se a OPÇÃO sexual das pessoas, elas já não são consideradas CIDADÃS ANTES disso? Que falácia é essa de “conquistar direitos iguais como humanamente lhes cabem”?Vou dizer:

Cabe a todas as pessoas, independente de credo, cor de pele, classe econômica e opção sexual (já que é esse o ponto) os direitos humanos de saúde, segurança, educação, condições dignas de trabalho, acesso à cultura. O que falta? Provavelmente a liberdade de praticar atos indecentes ao ar livre, ou em recintos fechados de acesso público, só se for.

Reparem o ódio que emana das letras digitadas pelo “Chico Lobo” à religião (sobretudo cristã), quando ele, logo no começo do texto liga “poder político, econômico e religioso” como uma só massa de autoritarismo que oprimisse todo o povo por motivos religiosos (pois para o autor, religião é sinônimo de atraso, aparentemente) e quando se refere certamente às bancadas de deputados e senadores formadas de cristãos católicos e protestantes como “sacerdotes da mídia’ que estariam “impedindo o progresso da humanidade” sob “prerrogativas da democracia e liberdde de expressão”.

Muito bem… observando de perto o movimento gay (pra encurtar GLBTTT, se não estiver faltando algum “T”, segundo a nomenclatura mais recente) facilmente nota-se que este sim vem ganhando espaço na mídia e na política através de uma gradativa exposição de seu comportamento e ideais nos principais meios de comunicação, a saber: revistas, televisão (especialmente nas novelas, mas também nos programas de auditório) e cinema. Com a quase inconsciente aceitação da população ao reprovável comportamento homossexual, o caminho para a política se tornou muito mais fácil (haja vista a eleição do ex-participante de reality show Jean Wyllys, hoje deputado federal pelo PSOL).

A infiltração na política fortaleceu o movimento gay a ponto de criar o famigerado PL122 [1] também chamado de “Lei anti-homofobia” e “carinhosamente” apelidado, com razão, de “Lei da mordaça-gay”.
O sr. Chico Lobo defende que tal projeto de lei “não obriga ninguém a ser o que não quer[…]a mudar sua opção sexual nem a casar-se com pessoas do mesmo sexo”. Caros participantes da lista! A declaração seria bela, se não omitisse as ameaças à liberdade. Notem que o autor, que diz ser necessária a promoção de uma suposta liberdade homossexual, não explica – e obviamente não o poderia fazer, sob pena de invalidar toda a mentirada – os efeitos práticos das cláusulas componentes do PL122 que, estes sim, podem tolher a liberdade de qualquer pessoa que seja contrária à gay, tornando-a uma criminosa!
O artigo 4º, por exemplo define punição de 2 a 5 anos de reclusão para o empregador que dispensar direta ou indiretamente um homossexual:

Art. 4º A Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, passa a vigorar acrescida do seguinte art. 4º-A:

Art. 4º-A Praticar o empregador ou seu preposto atos de dispensa direta ou indireta:

Pena: reclusão de 2 (dois) a 5 (cinco) anos.”
Por exemplo: Pais que porventura resolvam dispensar (ou possivelmente não contratar, dependendo da interpretação que o “STF da vez” possa fazer) uma empregada ou babá que declare-se homossexual, na preocupação de proteger seus filhos de influência de conduta contrária aos seus princípios e costumes (especialmente por terem TODO O DIREITO de definir a educação que seus filhos devem ter) serão passíveis de pena!
Na mesma “onda”, qualquer empresa terá o seu processo seletivo prejudicado, com a ameaça representada por um candidato que simplesmente se declare gay.

Paralelamente, cito o comunicado do governo do estado do RJ, que prometeu dar “treinamento aos Pms para lidar melhor com os gays”. Ou seja, em breve, qualquer um poderá escapar de revista e teste do bafômetro, por exemplo, mediante a alegação de abuso!

Considerem também que o artigo 5º, revisando o artigo 6º da lei 7.716 de 5/1/89,  pode facilmente ser citado como motivo para se criar “cota para homossexuais” nas universidades, futuramente. E eu pergunto: isto seria, acaso, um recurso de equiparação de direitos, ou mais uma segmentalização da sociedade?

Mas a principal ameaça à liberdade de opinião (não só religiosa) consta no que acrescenta àquela lei o artigo 8º da PL122, que refaz o parágrafo 5º do artigo 20º da lei supracitada para isto:

§ 5º O disposto neste artigo envolve a prática de qualquer tipo de ação violenta, constrangedora, intimidatória ou vexatória, de ordem moral, ética, filosófica ou psicológica.
Com isto, QUALQUER expressão de desaprovação à conduta homossexual (inclusive aquelas piadinhas da roda de bar) passarão a ser potenciais “ofensas mortais aos direitos dos gays”, passíveis de pena de reclusão. E esta proibição de expressão contrária se extende a todos os meios de comunicação (inclusive os mais modernos, como a supostamente livre Internet).
E, como este artigo põe em risco a doutrina cristã, na forma das homilias e catequese da Igreja Católica, e pregações dos pastores Protestantes, que da noite para o dia ficariam impedidos legalmente de orientar seus fiéis com os mesmos valores dignificantes de sempre, diante das polêmicas geradas a sen. Marta Suplicy elabora a “brilhante” manobra de emendar o textro, permitindo a manifestação contrária ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE dentro dos templos religiosos. Do lado de fora do portão da igreja, não pode. No jornal circular de assuntos religiosos, não pode. No site/blog da paróquia, não pode. Continua proibido extender as orientações de valores nos meios de comunicação. E se eu gravar a homilia do padre para ouvir em casa, em casa eu serei criminoso também…

Peço a quem ler esta resposta uma pausa para considerar qual é o lado que realmente está gerando discriminação, separação. Qual o lado que de fato está tentando proibir a opinião contrária? Pois para nós, cristãos, os homossexuais (que são tão seres humanos como nós, nascidos homem OU mulher, biologicamente falando) são bem vindos em nossas igrejas. E, uma vez estando nelas, orienta-se sobre todos os preceitos cirstãos, que há muitos anos (vamos lá, vcs já sabem quantos…) informa dos perigos espirituais, físicos, mentais e sociais do homossexualismo e demais condutas contrárias à Lei de Deus.

E, de novo: a preocupação não é apenas no campo religioso. Percebam que além da tentativa de calar a opinião contrária, os militantes do movimento gay estão se articulando para recriar o entendimento da sociedade do que é uma conduta moral e respeitosa, desde os valores essenciais, como o da família. Além da recente equiparação da união gay à família tradicional e legítima (fato comentado no meu blog também), é inegável o esforço de construir uma mentalidade que não simplesmente aceite o homossexualismo, mas seja ativamente pró-gay e, se possível GAY DE FATO, apresentando – com o consentimento e patrocínio do governo – para crianças e adolescentes em plena formação de caráter um chamado “kit de combate à homofobia”, mais acertadamente apelidado de “kit-gay”: um conjunto de textos e vídeos covardemente infiltrados ENTRE filhos e pais, ou seja, na escola, para condicionar os mais novos incitando práticas homossexuais. Vai muito, muito além de um simples papo de “não seja rude com os gays”, soando como um “seja gay que é legal!”.
Tal intromissão usurpa o direito que deveria ser defendido pelo governo como IRREVOGÁVEL dos pais educarem seus filhos, dando-lhes o correto direcionamento em assunto sexual. E não adianta alegar que “se os pais não orientam, a escola tem que orientar”. Escola deve ensinar matérias acadêmicas e moral e cívica. Não educação sexual.

Finalizando a gravidade do PL122: lembrem que a nossa legislação JÁ PUNE toda sorte de delitos de violência, e que obviamente abrangem qualquer ser humano. Portanto, a falácia do PL122 de querer proteger da violência os homossexuais é apenas uma maquiagem para esconder o verdadeiro intento, de dar aparato legal para qualquer absurdo que os gays pretendam enfiar goela abaixo na sociedade, criando um regime de medo de processos jurídicos que paralisaria qualquer pessoa.

Voltando ao discurso do autor, que cospe até no “politicamente correto” ao se referir mais uma vez de maneira pejorativa aos cristãos, chamando-os de “empresários da fé”, não é preciso óculos especiais para enxergar o PRECONCEITO quie emana de suas palavras. Pois é… notem de onde VERDADEIRAMENTE parte o preconceito, a difamação e discriminação. Outros exemplos de ataques, condutas agressivas e INTOLERÂNCIA foram vividos e divulgados por mim, depois de pessoalmente apresentar um manifesto diante da saída da palestra aplicada pelo governador do RJ, Sérgio Cabral, pela ocasião do lançamento da campanha “Rio sem homofobia” (que padece de graves eventos correlatos, facilmente encontrados ao se pesquisar por “Cabral PMs gay” no google.
Destaque especial para a repetição que o autor comete da conduta da sen. Marinor Brito, de chamar criminosos àqueles que pacificamente se opõem às ameaças e riscos que a aprovação do maldito PL122 representa à população: “Gente que é melhor estar guardada nas chaves da justiça do que solto” (e nem vou entrar no mérito da concordância…)

Observem, em seguida, a inversão mal-intencionada que o autor faz da realidade: “E a gente não faz nada… a gente olha isso como se nada afetasse nosso dia-a-dia como sociedade”. Quer dizer: os gays e simpatizantes NADA FAZEM? Como se não fosse já gravemente ofensivo e escandaloso o costume de marchar pelas ruas gritando um suposto “orgulho gay”, atos mais recentes como o do “beijaço gay” praticado na escadaria da igreja católica (mais precisamente a Catedral de Nossa Senhora do Desterro, em Florianópolis/SC) não representam outra coisa senão desrespeito a outras pessoas. E, novamente, a fabricação e distribuição do kit-gay é papel e imagem demais, pra ser ignorado!

Posso até comentar também o final do parágrafo: “políticos que vão retroceder substancialmente nossa sociedade e nossa cultura”. Retroceder? No mínimo, nós queremos a CONSERVAÇÃO de valores pré-existentes. Dado que o homossexualismo é uma escolha, uma OPÇÃO, que parte do princípio e origem básico da natureza, biologia e criação da espécie humana, logicamente tornada plena com a combinação da figura masculina com a feminina; sendo esta OPÇÃO uma “variante”, uma “alternativa”, uma “outra possibilidade”, como pode querer o autor fazer crer que a CONSERVAÇÃO da lógica e propósito normal da espécie humana seja um RETROCESSO? Ele abusa da trivialidade de juízo.

E a sequência de absurdos não pára! Logo ele diz: “A lista desses senhores supostos ‘donos da palavra de Deus'”. Como assim, sr. Chico? Por acaso fazer uso de citações bíblicas e da pregação aprendida na Tradição da Igreja Católica, e nos preceitos cristãos comuns a todas as denominações é feito – seja sincero – com a arrogância de pretender-se “dono da palavra”? O senhor por acaso está alegando que os dignos sacerdotes e pastores conhecem MENOS da Palavra de Deus do que o senhor?
E aí, o autor segue tentando ganhar “crentes” da sua teoria insana que propõe:
1) os cristãos “marcham” por algum direito qualquer. Marchar? Mas que exagero… que despropósito!
2) Teocrático é pior que Tirânicamente Gay
3) o alerta cristão para a realidade da condenação eterna para aqueles que NÃO se arrependem dos pecados é altamente preocupante (entretanto, se vc não acredita/não aceita o inferno é uma pena. Que Deus tenha piedade, adeus. Não acorrentaremos ninguém ajoelhado no milho até a morte.). Mas o cárcere do mundo real e atual, decorrente do PL122 não é.

E, só pra lembrar: PL122 NÃO “TRATA DA IGUALDADE CIDADÔ inocentemente. Ele AMPLIA a gama de INFRATORES de uma lei que tipifica crimes.
Ah! Ele abusa ainda em citar a Constituição! Como se o movimento gay tivesse algum respeito pela CF ou pela democracia em si, brigando pelo PL122 e forçando a barra da promoção da união gay junto ao STF, driblando o caminho legítimo, da interpretação e eventual alteração da CF pelo poder legislativo.

Sr Chico Lobo, a soma das minorias forma um coletivo de minorias. O seu defendido movimento gay não quer igualdade. Quer colocar uma minoria acima da sociedade, da maioria, (com o perdão da palavra, que deve ser-lhe acidamente desagradável) CONSERVANDO-A MINORIA, só que PRIVILEGIADA. Digo isso porque confio no bom senso da população e dos políticos que estão percebendo a má intenção dos objetivos e meios empreendidos pelo movimento gay, e que se Deus quiser, conseguirão derrubar o PL122, o kit-gay e quem sabe os “Jogos Olimpicos gays” (caso esteja planejando este evento tb).
A população, sr. Chico, não está assim tão calada não. Soube hoje, pelo twitter @AloSenado que “As manifestações ref ao PLC 122, rec. pelo Alô Sen., têm sido maj. contrárias, 95% contra e 5% a favor.”   Portanto, há um certo murmúrio contra o projeto, sim. E será cada vez maior, à medida que conscientizarmos a população.
Porém, sua conduta anti-religiosa pouco contribuirá para a discussão, sobretudo se o sr. evitar entrar em méritos religiosos.

Os fatos estão falando por si. Parte das pessoas homossexuais sequer sabem do que se trata o PL122 (isso quando sabem). Outra parte se exalta diante de pacífica oposição. E não só gays, mas os ditos simpatizantes.
O governo (sobretudo o carioca, infelizmente, para minha vergonha) na ânsia de agradar o eleitorado, seja este o gay, seja o não-gay (através da “boa imagem” de zelador dos oprimidos) ofende e faz pouco caso da sociedade, promove a imoralidade, e tropeça nos próprios preceitos (vide caso do regulamento da PM). A estratégia gay é desrespeitosa e desesperada.

É incômodo e preocupante para o movimento gay o fato de que a bancada de políticos cristão não esteja adormecida, a ponto de deixar correr soltos os absurdos propostos pelo seu plano de recondicionamento moral da sociedade. E devo salientar que a vigilãncia destes senhores (e minha) se dá JUSTAMENTE em honra aos valores cristãos, pernes defensores da moral, da fam?lia e da dignidade humana.

Por fim, peço a você Ricardo Loureiro, a gentileza de fazer chegar até o autor esta minha resposta. De minha parte, publicarei agora mesmo também em meu blog (vide link na assinatura). Querendo, basta informar resposta pública nos comentários por lá.

Afinal, se não me engano, é você que com notável insistência tem divulgado aqui na lista um espetáculo de temática espírita. Não é motivo de surpresa ver apoio a esta causa pela religião espírita (ou espiritualista). Esta que, sendo do braço que descende dos ritos e preceitos pagãos africanos, ou do chamado Kardecismo (de Allan Kardec, que tristemente resolveu REINTERPRETAR o Evangelho Cristão, dando sentido diferenciado, distorcendo fatos para satisfazer seus anseios espirituais), religião para a qual (em algumas vertentes) as pessoas podem reincarnar de sorte que homens podem “voltar” ao mundo como mulheres (e vice-versa) e inclusive pais podem voltar como filhos dos próprios filhos, irmãos podem “voltar” e casar-se com irmãos (e outros parentes acima de sua geração genealógica…). Novamente, não é motivo de surpresa que apóie o homossexualismo e coloque-se em oposição ao Cristianismo neste assunto.

[1]http://www.google.com.br/url?sa=t&source=web&cd=5&ved=0CDUQFjAE&url=http%3A%2F%2Fcongressoemfoco.uol.com.br%2FUserFiles%2FImage%2Fplc122.doc&ei=F9fVTdXQH8Pq0QHP0L3BBw&usg=AFQjCNHXiR6O14oSylql5RA9_phCtLgH5g

5 pensamentos sobre “Resposta pública a Chico Lobo e Ricardo Loureiro

  1. Pingback: O Legado d'O Andarilho › Votação da PEC 23/2007 na ALERJ

  2. Pingback: O Legado d'O Andarilho › Resposta pública a Reinaldo Azevedo

  3. Pingback: Resposta pública ao Deputado Prof. Israel | O Legado d'O Andarilho

  4. Pingback: Resposta pública a Reinaldo Azevedo | O Legado d'O Andarilho

  5. Pingback: Votação da PEC 23/2007 na ALERJ | O Legado d'O Andarilho

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s