Quando o PSOL bater na janela do teu browser…


… lembra e vêeeeeeee-eee-êee  que o cristianismo e o socialismo são ANTAGÔNICOS!!!

Hora da história em quadrinhos! Os amiguinhos do PSOL, que apóiam o partido só porque o mascote solzinho lhes evoca, subliminarmente, lembraças do “ninho soleil” vão achar interessante (não necessariamente gostarão, hehe).

AVISO: os alvos deste artigo não tiveram suas identidades poupadas. Sintam-se à vontade para cobrar qualquer postura deles, se julgarem oportuno.

Ontem tive o prazer de defender a Igreja Católica contra a investida de uns lobinhos (qualquer semelhança com o posto dos escoteiros não é mera coincidência, embora eu simpatize com essa atividade das crianças) socialistas no facebook. Monto e publico a conversa aqui para registrar os fatos que depõem contra o discurso mentiroso dessa “classe” de cidadãos que, contra todas as evidências, ainda insiste em flertar com os cristãos para obterem benefícios políticos.

Um candidato a vereador do município de São Gonçalo (RJ) identificado como PH Lima, dentre outras imagens pulicadas em seu álbum de campanha, que acenam para diferentes grupos sociais, publicou esta:

Imediatamente, alguns eleitores católicos trataram de deixar suas opiniões a respeito. Todas contrários a essa associação.
Meu amigo Cristiano Ramos, do blog Ramos de Cultura, que é morador de São Gonçalo, começou assim:

Transcrição dos links: [1]

Percebam que a resposta do Cristiano foi coerente, em sintonia com a tradição da fé católica, alinhada ao conhecimento que todo fiel católico interessado deve ter acerca das relações políticas da Igreja. Está de acordo com o que foi recentemente orientado pelos bispos aqui da arquidiocese do Rio de Janeiro, inclusive (registrado no primeiro link que ele citou).

Mas aí, o candidato PH Lima opta por já mostrar de qual “turminha” de católicos ele é “fechamento”. Duas notáveis referências foram dadas:

Nem demorou para falar sobre a tão incompreendida inquisição, não foi? A cartilha deles é bastante direta e exaustivamente estudada. Só que não passa de tópicos, enunciados e resumos mentirosos.
O que espanta (tá bom… nem tanto assim) é dar de cara com uma resposta nesse teor, de crítica à Igreja Católica, num local que inicialmente seria para aproximar católicos do candidato. Sigamos:

Uma moça, chamada Isabel, tentou contribuir para a discussão dizendo que devemos “lutar por uma sociedade mais justa, fruto de um Estado laico”. O assunto foi o tempo todo o PSOL e os católicos, mas os laicistas não podem deixar de se pronunciar, à toa.

O Cristiano fez bem, e corrigiu o candidato, a respeito da TL e reforçar o que já havia dito, todo mundo sabe, mas os inimigos da Igreja fingem que não entendem e nunca ouviram:

E aí o candidato PH Lima não se faz de rogado, e arrisca avaliar o que deveria ser um “comportamento cristão aceitável” e o Cristiano corretamente rebate com a previsão de tudo o que já se deve esperar do discurso de um esquerdista (e que veremos se manifestar logo a seguir…):

Transcrição do link: [2]

Seguiu-se a resposta do candidato, que passou a deixar bem claro o respeito que ele diz ter pela Igreja Católica, pelos eleitores católicos e pelo conhecimento geral. Para esquerdistas como este, um cristão só serve para dar um voto e depois precisa ficar calado, sob pena de violar o estado laico. E um zezinho esquerdista que se preze tem que citar a inquisição num debate contra um católico, afinal, parece que quanto mais se repete algo, maiores as chances de se tornar verdade, como diria Goebbels e os caras aqui do trampo que apostam na mega sena regularmente:

Nenhum católico que seja preguiçoso pode saber como se defender de uma acusação desta. Mas só um católico fajuto engole acusações contra a sua fé!
Neste ponto eu consegui entrar na conversa, depois de adicionar o candidato:

O Cristiano finalizou a participação dele com argumentos contra o “estado laico”:

Transcrição do link: [3]

Agradeço a paciência que o Cristiano teve com o candidato, na defesa da fé católica. Agradeço o convite para participar também.

Na sequencia eu procurei me dirigir aos católicos que estavam participando do debate. Dei minhas opiniões contra os partidos vermelhos:

Agora vem a parte mais engraçada: o candidato PH Lima “subiu nas tamancas” ao ler minha menção a Jean Wyllys:

Opa! Não percam nenhum detalhe, leitores! O candidato do PSOL insinuou isso mesmo: a Igreja Católica desrespeitou o direito de crença religiosa dos índios e negros. É gente com esse tipo de pensamento que vem pedir apoio dos católicos? Ainda me vem com a imbecilidade de dizer que religião e política são “irmãs”. Nem se fosse no sentido “periferia”, no dialeto “das quebradas”.

Ainda espumando o argumento o mote dos antirreligiosos, o rapaz define: a constituição fala de um “deus genérico”, um “deus coringa”. E ainda por cima está errada, já que “o estado é laico”. Os constitucionalistas deviam estar tirando sarro do povo, só pode…
Mesmo assim, o bravo defensor da liberdade conclui: a constituição “permite que cada indivíduo a inteprete à luz da crença que se quiser”, MAAAAASSSS, como o estado é laico, tentem evitar essa bobagem de religião, ok? Pff…

Isso foi pouco antes do horário do almoço. Um dos dois, Tico ou Teco, devia estar já filando a bóia, deixando o setor cerebral responsável pela opinião do candidato quase às moscas. Sem capacidade de processar duas tarefas ao mesmo tempo, emitiu essa confusão.

Antes de eu me retirar para almoçar e antes de o candidato me excluir do relacionamento do facebook (condição para poder comentar na foto), pude respondê-lo (o que fez ele cortar relações, provavelmente):

Transcrição dos links: [4]

Apesar do choque, PH Lima foi capaz de se restabelecer e deixar esta réplica, que eu só pude tratar horas depois, quando, por fim, ele me aceitou novamente como “amigo” do facebook:

Notem aqui o despropósito: mesmo afirmando que ele não é católico, ele compra a briga dos partidários da Teologia da Libertação.  Mesmo se colocando como não-religioso, ele se sente no direito de acusar a Igreja Católica de uma coisa ou outra.

O artigo já vai muito longo, não é? Pode ir beber uma água, mas volte! Fique com a gente, porque tem mais esquerdista chegando por aí…

Eu ainda estava aguardando a boa-vontade da liberdade de censura expressão do candidato PH Lima em me permitir voltar para o debate. Um outro rapaz, gente boa, com quem até pude levar uma conversa decente fora dali, deixou um recado:

Para tentar finalizar, procurei responder a cada um, dando a devida atenção:

E acabei comentendo um errinho de concordância ali no final. u.u

O candidato ganhou mais atenção também:

Muita, podemos dizer, pois o “companheiro” dele resolveu acudí-lo (gayzistas, por favor, não misturem o “companheiro” com o ‘cu’ do final da frase. Não se trata disso. Mesmo!):

Aqui é necessário fazer uma observação: o Roberto Filho é “católico”, vermelho. Do tipo rasteiro que tem a empáfia de se propagandear católico mas se posicionando ao lado dos inimigos da Igreja EM TUDO, como aborto, preservativos, celibato, etc. Ele pode até vir aqui negar, não sei. Mas se fizer prova pra neoateu talvez ele até passe…

Eu concluí minha batalha contra esses aprendizes de apóstatas dando tratamento às palavras do Roberto Filho:

Durante a edição deste artigo eu deixei alguns questionamentos de ordem prática para o candidato PH Lima, para que ele se posicionasse a respeito de educação religiosa e aborto. Depois de um tempo ele respondeu, eu deixei minha réplica e é neste pé que a coisa está.

Quem desejar acompanhar, pode acessar: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=350370105050110&set=at.350365208383933.88046.100002313710893.100001958794845&type=1&theater

O objetivo aqui não é pintar ambos os meus opositores como pessoas ruins (e não estou também absolvendo eles, que fique claro). Quero com esta historinha:

1) alertar os católicos para os perigos oferecidos pelos socialistas/comunistas e ratificar a necessidade de se afastar destas ideologias, pelo bem da própria alma e da obediência à Igreja;
2) expôr as opiniões dessa gente maliciosa, dando o tratamento devido, combatendo os ataques infundados e lhes esfregando nas faces seu baixo conhecimento do que falam sobre a Igreja;

Ambos podem me alcançar por aqui ou pelo facebook. A eles é assegurado o direito à “ampla defesa”.

***

E, claro, sempre vale a pena consultar a palavra de um especialista:

Padre Paulo Ricardo – 67 – A Resposta Católica: Ser comunista é motivo para excomunhão?

http://www.youtube.com/watch?v=nX1b6jOFvlo


[1] http://www.slideshare.net/LuisNassif/proposta-psol, https://oandarilho01.wordpress.com/2012/09/13/arquidiocese-do-rio-de-janeiro-contra-a-cultura-da-morte/, https://oandarilho01.wordpress.com/2012/09/11/estudo-os-nascituros-e-a-dor/, https://oandarilho01.wordpress.com/2012/08/21/campanha-municipios-em-defesa-da-vida/, https://oandarilho01.wordpress.com/2012/05/11/contra-a-apologia-homossexual-pseudo-catolica/
[2] https://oandarilho01.wordpress.com/2011/07/06/e-as-ofensas-continuam/
[3] http://caiafarsa.wordpress.com/inquisicao-cai-a-farsa/
[4] https://oandarilho01.wordpress.com/2012/03/14/por-um-pais-de-filhos-da-puta/, https://oandarilho01.wordpress.com/2012/03/20/o-dia-em-que-jean-wyllys-me-chamou-de-mentiroso/

Anúncios

21 pensamentos sobre “Quando o PSOL bater na janela do teu browser…

  1. Olá, eu queria ter participado mais do debate porém o PH Lima não me aceitou antes era o perfil do mesmo era aberto onde todos podiam comentar assim que começou o debate ele “fechou a porta”.

    Esses debates constantes que venho acompanhando e participando junto com o Bruno me lembro de São Domingos de Gusmão.

    “Conta a tradição que Dona Joana, quando grávida de Domingos, certa noite sonhou que dava à luz um cachorro branco e preto que segurava na boca uma tocha, com a qual ia incendiando o mundo por onde passava. Preocupada com um sonho tão singular, foi visitar o mosteiro de São Domingos de Silos, próximo a Caleruga, e pediu ao monge que fizesse a interpretação daquele sonho. Na intimidade de sua oração, ouviu a seguinte resposta:

    “Seu filho será um fervoroso pregador do Evangelho e com sua palavra atrairá muitos à conversão e alertará os pastores da Igreja contra seus inimigos”. (p.20)

    Esta resposta tranqüilizou Dona Joana, que esperou pelo tempo em que o Senhor cumpriria o Seu desígnio. Por isso, os escultores e pintores representam São Domingos de Gusmão acompanhado de um cão com uma tocha na boca, com uma significativa legenda: “Domini canis”, isto é “Cães do Senhor”. (p.21)”

    Vejo a cada dia mais os cães do Senhor defendendo a Esposa de Cristo com unhas e dentes.

    “Eis o que deves ensinar, pregar e defender com toda a autoridade. E que ninguém te menospreze!” (Tito 2,15)

    “Eis uma verdade absolutamente certa: Se morrermos com ele, com ele viveremos. (II Timóteo 2,11)

    “Lembrai-vos dos dias de outrora, logo que fostes iluminados. Quão longas e dolorosas lutas sustentastes. (Hebreus 10,32)

    “Sabei antes de tudo o seguinte: nos últimos tempos virão escarnecedores cheios de zombaria, que viverão segundo as suas próprias concupiscências. (II São Pedro 3,3)

    Paz e bem
    Agradeço a Deus por apresentar este amigo e parceiro apologético ;0

    • Sempre às ordens, meu amigo. Obrigado pelo convite.
      Agora é esperar que frutifique, auxiliando outros que precisam defender a Igreja e resistir ao assédio dos lobos.

      abraço!

  2. Pingback: Dor eleitoral de cotovelo | O Legado d'O Andarilho

  3. Eu mal cheguei e já vou meter o bedelho novamente…

    Antes de tudo, minha opinião a respeito do debate em si:

    O tal PH (bastante ácido, na minha opinião) é um oportunista a procura de “inocentes úteis” a fim de fazer deles massa de manobra… É o que há de pior da política nacional!

    O estado é laico (e isso é de certa forma, positivo para a Igreja, pois desfaz-se a relação dialética entre o Estado e a Igreja. O estado não é influenciado pela igreja, ao passo que esta não é mais obrigada a comer do cocho estatal) mas não é laicista! Não se pode impor o laicato aos cidadãos! O estado pode ser laico, mas as pessoas não são!

    Me permita agora, uma pequena provocação => http://porele.wordpress.com/2010/10/05/um-crente-comuna/

    Antes de responder, peço que leia também mais estes dois pequenos textos…

    http://porele.wordpress.com/2010/10/08/eleicoes-yin-yang/
    http://porele.wordpress.com/2010/10/25/o-deus-maneta/

    Creio que minhas ideias estão mais contidas nas entrelinhas do que nas linhas…

    • Que bom! Me animo com a participação dos leitores 🙂

      Discordo de você no seguinte: o estado É influenciado pela Igreja, sim. Afinal, a Igreja é uma entidade civil, representa os interesses dos seus fiéis. A Igreja merece voz tanto quanto outras organizações civis, como a OAB, por exemplo. Nisso consiste o erro dos laicistas.

      Lerei os artigos e acredito que vá ter o que comentar sim. Foi bom ter indicado textos, para tornar a troca objetiva.

      Até breve.

      • Só para deixar claro… Minha opinião a respeito do estado ser laico não implica em “calar” a Igreja. O que acho positivo é eliminar a relação de interdependência entre Igreja e Estado. O Estado não precisa pedir a benção da Igreja (isso acaba acontecendo de forma indireta, pois os membros da Igreja são também membros atuantes do Estado) e nem a Igreja fica dependente da aprovação do Estado. A relação dialética reflete uma influência mutua… A Igreja precisa ser independente da máquina estatal!

      • Entendo, mas não vejo essa interdependência vigorando atualmente. Não da maneira como te preocupa.
        Isso foi verdade lá atrás, séculos atrás. Sustentar que ainda hoje a Igreja interfere (o que é diferente de influir) nas proposições do Estado (o que, por sua vez, é também bastante diferente de influir nas DECISÕES) é dar pábulo aos clamores laicistas. Eles precisam defender que a Igreja interfere para criticá-la. Para tal, utilizam os mesmo argumentos furados da esquerda (inquisição, blablabla…, pedofilia, blablabla…) de sempre.

      • Pois é Bruno, eu bem sei que a Igreja não tem mais o poder temporal de outrora, mas ainda mantém relações estreitas com o Estado. Já ouviu falar de Laudêmio?

        A Igreja Católica contribuiu, e muito, com a urbanização de muitas cidades, isso conferiu a ela o direito “Ad Eternum” de receber uma taxa anual paga pelos proprietários de imóveis construídos nas áreas beneficiadas (a marinha, o exercito e algumas famílias antigas e tradicionais, que também contribuíram para a edificação das cidades, também tem direito ao laudêmio).

        Fora isso, sempre que defendemos a não laicidade do estado, é isso que os ouvidos laicos escutam, que desejamos que a Igreja volte a dar pitaco em tudo o que se refere a vida política do pais.

  4. Po , quero confessar uma coisa aqui , eu sou Católico e tenho imenso orgulho da nossa Santa Igreja , mas não sou uma pessoas muito religiosa , rezo todo dia , e vou a Igreja eventualmente , mas tenho imensa paixão pela hisória da Igreja , as santas Cruzadas e toda a história medieval que a envolve , mesmo com os seus poucos erros , eu a amo loucamente !!!

  5. Pingback: Dossiê cristão dos pré-candidatos ao governo do RJ | O Legado d'O Andarilho

  6. Quando é q “católicos” vão entender que na Sã Doutrina nao há democracia. Pelo contrario, minha opiniao n serve de nada. A Doutrina da Igreja nao surgiu de opinioes, mas do q os apostolos viram e ouviram de Jesus e de seu Santo Espírito.
    Alguem, lá no debate do artigo, falou sobre respeitar opinioes dentro da Igreja.
    Catolico cre no q a Igreja ensina, e ponto. Nao crer, de forma pertinaz, racionalmente (ou seja, sem estado de ignorancia), chama-se HERESIA. E a heresia leva à excomunhao. Oras, um herege n eh catolico, simples assim.
    Catolicismo n eh democracia, é teocracia. Kem manda é Jesus. Ele da as ordens. Quem n concordar que funde sua “igreja”, como mtos o fazem (o socialista Hitler nao o fez tb?)

    • Não sei se Hitler fundou sua própria igreja, mas os comunistas da China há décadas mantém uma “igreja católica” paralela. Aliás, “paralela” acaba sendo a Igreja Católica Apostólica Romana, unida ao papa, mas completamente marginal e perseguida.

  7. Refiro-me à igreja do Reich. De fato ela ja existia antes de Hitler. O nazismo so tentou adequa-la (ou seja, piora-la ainda mais).
    Pois quem n concorda com a Sa doutrina q busque uma q lhe agrade ou q funde sua propria igreja.

  8. Acho que o PH Lima se aproveitou um pouco sim, porém nunca fui a favor da igreja, acredito que a igreja não respeitou a liberdade de religião dos índios e negros, e que apoiou a escravidão, postei esses dias uma texto em emu Facebook falando sobre assunto de religião. Eu não sigo nenhuma religião, pois acho que as religiões só causam discussões idiotas, e muitas guerras ao redor do mundo aconteceram por causa de religião. Eu aprendi desde pequeno que Deus existia, ainda creio nele, porem não acredito que eu precise está em uma religião para está seguido ele. Em relação aos homossexuais a igreja católica não é a unica que não apoia o ato, muitas outras igrejas também não apoiam a comunidade LGBT, e eles se baseiam em passagens da bíblia para não apoiar. A igreja católica realmente tem uma história bem ruim, porém não cabe a nós jugar essa história ou defender. Na minha humilde opinião, acho que vocês não deveriam misturar a politica com a religião, que sem duvidas são uns dos assuntos que mais geram discussão. Eu somente acho que cada um com sua religião respeitando cada pessoa com sua maneira, e sem defender a igreja de forma absurda como eu vejo em vários posts de blogs e no próprio Facebook. Não sigo nenhuma religião, já segui sim, porém abri meus olhos e vi que eu tenho que seguir Deus, e não os humanos que estão aptos a errar a qualquer momento. Eu acho uma burrice ficar defendendo religião. Essa é minha opinião, respeito a opinião de todos, espero que respeitem a minha e eu na seja alvo de criticas. Obg.

    • Olá, Arlyson.
      A Igreja Católica não desrespeitou a liberdade de religião dos índios. Uma evidência disso é a obra do (recém canonizado) São José de Anchieta. Ele não só deu grande e valiosa contribuição para o mundo com sua gramática tupi-guarani como colocou todo o seu conhecimento intelectual a serviço da catequização dos índios, criando enredos lúdicos, representados na forma de peças de teatro, que incorporavam símbolos, nomes e figuras das crenças pagãs indígenas, como se vê, por exemplo, no Auto de São Lourenço. Em suma: a Igreja, através de jesuítas como São José de Anchieta trouxe a Palavra de Deus e a mensagem da salvação cristã, mas com respeito e de forma humana, apesar até mesmo dos enormes perigos em se inserir no meio de tribos selvagens – algumas delas antropófagas. Além de, sem dúvida, proteger muitos índios dos arroubos dos colonizadores, que tinham como primeiro instinto explorar os nativos através da violência. Recomendo que você consulte o primeiro capítulo da obra “Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil”, do historiador Leandro Narloch, que trata exclusivamente dessas páginas do passado do nosso país, dando muitas referências bibliográficas.

      A Igreja Católica não desrespeitou também a liberdade de religião dos negros. Procurou desenvolver o mesmo trabalho de evangelização que sempre fez ao longo dos séculos, em todas as partes do mundo. Ocorreu que, vendo na doutrinação católica uma forma de amansar os negros, os seus senhores deitarem sobre eles a obrigação da adesão à fé cristã. Para conciliar esse conflito de crenças, acabou surgindo a triste abordagem do sincretismo religioso, onde os crentes das religiões pagãs africanas inventaram correlações entre suas divindades e os santos católicos – mesmo não sendo, EM ABSOLUTO, as mesmas pessoas; até porque, as entidades pagãs africanas não são pessoas específicas, mas fictícias, como os deuses mitológicos grego-romanos e nórdicos.

      Além disso, Arlyson, a Igreja Católica não “apoiou” a escravidão. Muito pelo contrário, ela sempre defendeu a dignidade de todo o ser humano. Não se pode culpar a Igreja pela prática da escravidão que é, deve-se frisar, muito anterior a ela. Toda a civilização humana construiu-se alicerçada pela prática do subjugo e da exploração da mão de obra escrava, há mais de 3 milênios. Era, portanto, impossível que a Igreja Católica, mesmo com a mensagem de libertação cristã, erradicar a prática da escravidão instantâneamente. Papas ao longo dos séculos expediram bulas e fizeram enfáticos pedidos a autoridades seculares, sobretudo no período colonial dos séculos XV a XVIII, para que acabassem com a escravidão. A honorável Princesa Isabel, expedidora da Lei Áurea brasileira era católica piedosa (“fervorosa”, no popular), com processo de beatificação em curso (para se ter noção do reconhecimento do povo quanto à sua contribuição).
      Para aprender mais sobre a relação da Igreja Católica e a escravidão, leia o livro “A Igreja Católica em face da escravidão”, do historiador Jaime Balmes. Eu mesmo o tenho hospedado aqui no site e posso de fornecer o link do pdf, se desejar.

      Bem, reflita sobre a sua crença em Deus: Será que você acredita mesmo no Deus único e verdadeiro, o Deus de Abraão, Jacó e Moisés, Criador do mundo e do ser humano, que enviou Seu filho Jesus à Terra para resgatar a humanidade desviada e pecadora, por amor e para a nossa salvação, OU confeccionou um “deus particular”, que corresponde aos seus desejos e que concorda com tudo o que você pensa sobre o mundo? Deus nos deu Seu Filho, Jesus Cristo, e por meio dele instituiu no mundo a igreja, que é por isso mesmo chamada de “corpo místico de Cristo”. Se só por Jesus chegamos ao Pai, é pela igreja, que Ele fundou, que chegamos a Ele e alcançamos a vida eterna.

      A crítica ao homossexualismo é baseada na Palavra de Deus e na ordem natural que Ele criou e em seus mandamentos, que foram registrados na bíblia, mas não só. O homossexualismo é uma subversão da natureza humana, provoca danos, destrói a dignidade e afeta a sociedade. Além disso tudo, está sendo gravemente instrumentalizado na política (vide movimento LGBT, união civil gay, adoção por pares gays, “homofobia”, Jean Wyllys, etc). Se você diz para não misturar religião e política, dedique-se a observar só a parte da política e sem dificuldade poderá enxergar os absurdos e perigos para a ordem pública, para a segurança jurídica e para o convívio civil que a militância homossexual está provocando.

      Outrossim, não precisa existir preconceito de não querer “misturar política e religião”. A religião é uma dimensão do ser humano, tanto quanto a sua figura pública, sua figura paternal/maternal, profissional, etc. A religião oferece valores morais que formam o caráter e ninguém (um deputado ou um médico, por exemplo) deve ser discriminado por confessar e professar uma fé em doutrinas espirituais.
      Que ninguém tenha medo de discussões.

      Procure estudar sinceramente a Igreja Católica, seus anos iniciais, seus primeiros padres (chamados de “Padres da Igreja”), sua expansão, as obras caritativas fundadas, e especialmente busque informações sobre os episódios sobre os quais te convenceram de que foram “bem ruins”. Infelizmente, as últimas gerações – incluindo a minha (que tenho 28 anos) e a sua, mesmo que seja um pouco mais velho ou mais novo – foram vítimas de muita DESINFORMAÇÃO. Nossos professores (especialmente os de história) foram formados para espalhar mentiras sobre a Igreja Católica, para difamá-la mesmo, deliberadamente. Com isso, há muita boataria que não é, curiosamente, verificável hoje em dia, por quem se aproxima da Igreja.

      Arlyson, você escreveu “não cabe a nós julgar essa história ou defender”, mas você já condena a Igreja, atribuindo a ela um passado “bem ruim” que não viveu e, portanto, pode não conhecer direito, de verdade. E é justamente julgando, investigando os fatos, com honestidade, que a verdade vem à tona e a justiça é feita para com os acusados, que podem, sim, ser inocentes. Pesquise, estude e seja mais prudente e cauteloso antes de repetir as acusações a que fomos condicionados na escola e ainda somos, nas redes sociais.

      Você também escreve: “é minha opinião (…) espero que respeitem e eu não seja alvo de críticas”, mas imediatamente antes diz “Eu acho uma burrice ficar defendendo religião.”. Ora, a pior e mais injusta crítica que se faz hoje à Igreja Católica e aos seus fiéis é chamá-los de burros, assumindo que eles não fizeram o “dever de casa”, tirando a limpo as acusações feitas há séculos contra ela.

      Paz e Bem

  9. Sensacional!! Senti-me lendo uma resposta do site da Montfort (o qual n visito há mto tempo mas q m ajudou em mtas dúvidas).

  10. Pingback: A carapuça serviu | O Legado d'O Andarilho

  11. Pingback: Por que um católico não pode ser comunista? | O Legado d'O Andarilho

  12. Pingback: O debate da Compadecida | O Legado d'O Andarilho

  13. Pingback: O socialismo, pelo papa Pio XI | O Legado d'O Andarilho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s