Viemos do pó ou do macaco?


evolucionimo

Após a publicação de um vídeo do Pe. Paulo Ricardo tratando do tema Igreja x evolucionismo (vide abaixo) no blog Ecclesia Una, resolvi compilar um trecho de debate que tive com um protestante, no início do ano, nos comentários do blog do Julio Severo.

A conversa lá foi basicamente uma disputa entre este católico e o protestante, motivada pela minha crítica à notícia de que estariam distribuindo bíblias (tanto protestantes como católicas) revisadas onde foram removidas as referências a Deus como “Pai” e a Jesus como “Filho” ou “Filho de Deus”. Como eu sugerisse que depois da Reforma e sua manipulação do cânon bíblico, composto pela Igreja Católica ao longo de muita discussão, tudo se tornou realmente possível, e que o melhor seria um esforço de unificação dos cristãos (leia-se: retorno dos protestantes à verdadeira fé cristã católica), começamos a (nos) debater.

Lá pelos 10% do diálogo, o protestante acusou a Igreja Católica de aceitar o evolucionismo, e isso seria um ponto negativo, de descrédito da Santa Madre Igreja. Como eu procuro jamais ser leviano, mergulhei no assunto e o resultado é o que segue abaixo (o debate todo pode ser de utilidade para quem estuda a apologética católica. A quem interessar possa, o debate pode ser lido na íntegra, inclusive com a intervenção de um apologista chamado “O Católico” em [1]):

 

OPOSITOR: “Vede que o Papa João Paulo II declarou abertamente que a Teoria da Evolução não contradiz a fé Cristã ou não vai contra a fé Cristã, mas que é compatível com a Fé Cristã. O atual Papa Bento XVI também vai na mesma linha de pensamento quando a teoria da evolução. (…) Portanto, como posso aceitar uma Igreja em que o Papa aceita a Teoria Evolucionista que vai contra o ensinamento bíblico da criação como se essa Igreja estivesse totalmente ensinando a verdade?”

O ANDARILHO: “Eu também não levo fé na teoria da evolução. Mas não seria a evolução das espécies possível, para Deus? Não poderia a criação ter seguido o justo curso do que a ciência enxerga como evolução? Se o carbono14 é reconhecidamente falho, toda a contagem vertiginosa de bilhões de anos pode ser. E mesmo que não fosse, bem, nosso Deus não se limita ao tempo, afinal.”

OPOSITOR: “E quanto a isso que dissestes: ‘Mas não seria a evolução(…)?’
Oras se tivesse sido possível por quê então Deus não o relatou na sua palavra? Ou como Deus poderia dizer após ver a tudo que tudo estava bom se ainda tivesse ainda às espécies que evoluírem? Pode uma coisa que ainda têm que evoluir ser algo bom ou já estar completo? A Teoria da evolução é totalmente contrária ao ensinamento bíblico e contradiz abertamente a Palavra de Deus. E claro que não poderia ter seguido tal curso pois quando Deus criou o mundo o fez perfeito e compelto, e diz na Bíblia: “E viu Deus tudo quanto tinha feito e viu que era muito bom. E foi a tarde e a manhã o dia sexto” E em Gênesis 2 versos 1 ao 3, diz: “Assim foram acabados o céu e a terra, com todo o seu exército.
No sétimo dia acabou Deus a obra que tinha feito; e cessou no sétimo dia de toda a obra que fizera.
Abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele cessou de toda a obra que fizera como Criador.”. Oras a Bíblia declara abertamente ue tudo estava muito bom, que Deus havia acabado tudo o que tinha que fazer e descansou no sétimo dia de toda a sua obra. Oras, como poderia estar tudo muito bom para Deus, e estar tudo acabado, e Deus ter descansado no sétimo dia de toda a sua obra, se a natureza tivesse que seguir o tal dito curso chamado evolução? Oras, vedes que a Evolução nega totalmente o que diz Deus em sua Santa Palavra e coloca em xeque todo o ensino bíblico. Não há como tentar conciliar o Cristianismo com essa heresia da evolução.”

O ANDARILHO: “Este é um ponto de muita divergência mesmo. Só que é preciso entender que a bíblia contém a mensagem da Salvação do homem, ou seja, ela possui a história do povo eleito e do plano de redenção de Deus, desde a criação até a remissão na cruz. O que contém nos textos é o necessário para compreender como viver verdadeiramente a fé em Deus, entender como Ele agiu ao logo daquele período e como Ele age hoje em nossas vidas. Mas não podem ser descartados para um perfeito entendimento do texto detalhes próprios da realidade do povo, o momento político, o nível intelectual do povo que haveria de ser ensinado. Assim sendo, é óbvio que quando Deus declarou boas as suas obras elas já estavam completas. Mas quanto tempo durou a preparação de cada coisa? Entender que os 7 dias da criação podem não ser compreendidos nas 24hs que convencionamos é útil para aceitar que as descobertas científicas verdadeiras não estão desmentindo a bíblia.
Deus opera por meios misteriosos, não é? Por que você consegue aceitar que não se pode determinar os dias que restam para o fim dos tempos, mas acha que consegue garantir que a criação foi completada em 144 horas? Aliás, rapaz, tomando como base nossos sistemas de medidas, 144h para o poder infinito de Deus e para a Sua Eternidade, seria um prazo absurdo, e até mesmo blasfemo!
Veja como há muita coisa nas entrelinhas que só um estudo aprofundado e reflexões conscientes podem revelar…
(…) o Magistério da Igreja aceita a teoria da evolução já que ela não contradiz a criação do mundo, como eu expliquei antes. Assim como aceita que a terra é redonda. (…) Veja como, sem autoridade centralizada, a fé cristã fica à mercê de toda sorte de enganos e conflitos lógicos.
De que adianta agarrar-se a uma bíblia incompleta e não compreender na totalidade a grandiosidade da Mensagem?”

OPOSITOR: “(…) quando Deus fala de dias em Gênesis 1 e 2 ele não está falando de outra coisa que um dia normal de vinte e quatro horas. Querer dizer que um dia não era de vinte e quaro horas em Gênesis 1 é negar a veracidade bíblica. Se um dia em Gênesis 1 não fosse de vinte e quatro horas então quantas horas seriam? Duas milhões de horas? Quatro milhões de horas? Sete bilhões de horas? Esse negócio de negar que o dia de Gênesis 1 não seja igual ao dia normal dos dias atuais é negar a própria fé bíblica, é negar ao próprio ensino cristão.
E quanto a Ciencia: se a ciência negar que Jesus existiu há de se aceitar tal coisa? Ou se a ciência dizer que Jesus não se chamava Jesus e que ensinou outra coisa, há de aceitar o que diz a ciência em detrimento do que diz a Bíblia? Então se adapta as doutrinas e ensinos para se adequar ao pensamento científico?
Como bem disse o Apóstolo Paulo: “Seja Deus verdadeiro e todo o homem mentiroso” E digo: “Seja Deus verdadeiro e toda a ciência mentirosa”.
A Bíblia é a Palavra de Deus e não a ciência. A ciência é formada por homens falhos tais como nós e está sujeita a erros. Naquilo que a ciência contradizer o que diz a Bíblia deve-se rejeitar o que diz a ciência e ficar com aquilo que diz a Bíblia, e não o contrário. Não é a Bíblia que se deve adequar a ciência, mas a ciência que se deve adquar a Bíblia.
Aceitar a teoria da evolução é verdadeiramente desmentir a Bíblia e acreditar na maior mentira que o Diabo já criou que é a teoria da evolução. Não existe maior mentira diabólica do que a evolução. Aceitar a evolução é negar a Cristo e ao cristianismo e é pecado de apostasia. Qualquer Igreja que aceite essa teoria apostatou-se da fé, e é apóstata.
E quanto a criação poder ser completada em 7 dias de vinte e quatro horas eu aceito pelo mesmo motivo que aceito não se pode determinar os dias que restam para o fim dos tempos, pois a própria Palavra de Deus me garante isso. A própria Bíblia diz que o mundo foi criado em seis dias e ao sétimo dia Deus descansou.
E portanto, por confiar na Palavra de Deus, por crer no que ela diz rejejto totalmente essa teoria dos infernos chamada Teoria da Evolução e todos os seus falsos ensinos.
O que é blasfemo é negar que o mundo tenha sido criado por Deus em 7 dias literais de vinte e quatro horas e ficar querendo justificar a teoria da evolução, querendo conciliar essa doutrina do demônio chamada evolução com o ensino bíblico. Isso sim é blasfemo!
(…)A teoria da evolução só não contradiz os falsos ensinos e as heresias e nem contradiz a doutrina espírita, que acredita em evolução.”

O ANDARILHO: A dificuldade de entendimento entre nós católicos e vocês protestantes reside no apego irredutível de vocês na máxima da sola scriptura. Atrás disso você se coloca e resolve que nada mais que esteja escrito em lugar algum é digno de consideração. Aliás, isso só quando é para recusar argumentos. Se fosse assim, ninguém deveria confiar em nada da literatura da medicina ou, sendo extremista para o outro lado, nem mesmo em receitas de bolo só porque não estão na bíblia.
Um outro exemplo da inviabilidade desta opção de desprezar qualquer outra literatura: considere a quantidade de animais que têm seus nomes transcritos na bíblia. Você há de concordar que é uma mui resumida porção da totalidade de espécies de animais que existem e foram criadas por Deus. Por acaso, os que não têm nomes citados nos textos sagrados devem ser considerados satânicos? Visitar o zoológico com a família pode ser considerado pecado?
Vou mais longe: Quando Jesus disse: “quem ama pai ou mãe mais do que a mim não é digno de mim. E quem ama filho ou filha mais do que a mim não é digno de mim.” (cf Mt 10, 37-38) Ele estava acaso nos proibindo de termos momentos de lazer com nossos familiares? É óbvio que não. Por isso é preciso atenção ao interpretar a mensagem bíblica.
Além do mais, só porque não está escrito literalmente na bíblia que os cristãos do futuro devem munir-se de todos os métodos modernos como fita k7, cd, dvd, livros, passeatas, shows, postagens de blog na Internet, etc, todos estes meios de evangelizar são ilícitos? O Evangelho de Cristo não está confinado na bíblia como vocês querem crer. Graças a Deus!
(…)
Tratando agora da questão da duração dos dias na criação: veja como a Providência Divina é magnífica: hoje, 05/02/2012, a leitura do Evangelho, na missa, foi Mc 1, 29-39. Esta passagem traz um detalhe interessante que condiz com a minha alegação da diferença entre o nosso dia hodierno de 24 horas de duração e os dias da criação. E este detalhe nos faz lembrar daquela questão que eu comentei antes, do contexto histórico, do estilo literário e das próprias convenções técnicas adotadas à época da escritura dos textos: Jesus saiu da sinagoga e foi para a casa de Simão e André. Era, portanto, um sábado. Naquele dia Jesus curou a sogra de Pedro de uma febre. Agora veja o que vai a partir do versículo 32: “à tarde, depois do pôr do sol, levaram a Jesus todos os doentes…”. Pois bem, temos em outros pontos da narrativa do Evangelho a lembraça de que o sábado é sagrado para os Judeus, e em mais de uma vez os fariseus condenaram Jesus por operar obras aos sábados. Portanto, quando o povo levou esses doentes para Jesus curar, *** após o entardecer *** ou seja, após o pôr do sol, para eles, para os judeus daquela época, a noite já equivalia a um outro dia. Não há como negar que para eles aquele momento das curas já era outro dia que não o sábado. Portanto, a noção de dias, de 24h, possivelmente não era a mesma, significando que a criação é mais complexa que simples 144h.
O conceito de evolução do espiritismo nada tem a ver com a proposta de evolução biológica das espécies animais, Carlos Henrique. A evolução da qual o espiritismo fala é espiritual. É uma grande bobagem, especialmente o Kardecismo, que pretende reinterpretar o Evangelho, e mostrar através de – veja só você – interpretação das palavras de Jesus que constam em nossas bíblias cristãs que Cristo nos transmitiu a reincarnação. É terrível mesmo. Mas é completamente diferente do conceito científico.”

***

***

Para saber mais:

Carta Encíclica Humanis Generis (em especial o item 36)

A secular ciência do Vaticano (a propósito, pretendo comentar aqui no blog a respeito de extraterrestres qualquer dia)


[1] http://juliosevero.blogspot.com.br/2012/02/para-agradar-aos-muculmanos-nova-biblia.html

4 pensamentos sobre “Viemos do pó ou do macaco?

  1. Não sei se você sabe meu caro Bruno, mas na época dos dinossauros, o dia não tinha 24h, tinha 22, e até hoje, devido ao calendário e a rotação da terra, alonga-se em mais ou menos 0,5 segundos o dia a cada 100 anos, ou seja além de tudo, o cara é desinformado kkk.

    O evolucionismo não é incompatível com a Fé, é a “fé” (leia-se fundamentalismo protestante) que muitas vezes fica estupefata quando certas ideias que lhes são absolutamente irrevogáveis (vê-se clara contradição deles ao criticar a Dogmatica católica enquanto eles mesmos criaram o “dogma” da Sola Scriptura e da Sola Fidei, em suas interpretações cegas).

    Eu também em muuuitos aspectos não sou fã de Darwin e do evolucionismo. Acho muito estranho o argumento da seleção natural. Na minha opinião o cara era um ser humano que sofrera demais e que alimentou o seu ódio ao trabalhar, um cara assim não merece muito crédito penso eu.

    Esse debate é mesmo muito interessante e acho que depois seria bom você comparar as ideias.
    Abraço!

  2. Hmm.. essa informação da duração do dia na era jurássica eu não me recordo se sabia.

    A propósito, sobre os dinossauros, não sei se a Igreja tem alguma posição (semi-)oficial. Certa vez ouvi que haveria uma corrente de pensamento teológica que sustentaria que os dinossauros seriam criação de Lúcifer. Mas jamais encontrei registro disso por escrito.

    Só fiquei na dúvida do seguinte. Cadu: comparar as idéias com quais?

    abç

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s