PJ: Pastoral da Libertação, Teologia da Juventude Marxista


che-guevara-boina-PJ

É como diz o ditado: quem com ferro fere, é expulso do grupo de facebook da Pastoral da Juventude do Vicariato Suburbano do Rio de Janeiro

(OBS: Clique nas imagens para ampliar e utilize o botão de Voltar do navegador para retornar ao artigo)

Saudações!

Este blogueiro recebeu durante o carnaval dois golpes: um duro e um mole. O duro foi a renúncia de Bento XVI ao ministério petrino. Desnortenate, mas de certa forma revigorante para a fé; o segundo, o mole, foi a exclusão oportunista do grupo de facebook da Pastoral da Juventude (PJ). Hilário, mas completamente previsível.

Foram vários os conflitos de opinião que levaram o moderador do grupo a me remover de lá (culminando com meu “posicionamento” ácido  que poderá ser lido ao final do artigo, em resposta ao convite para me retirar). Para não alongar excessivamente este artigo, limitar-me-ei a narrar o caso mais recente, ilustrando (como de costume) em quadrinhos a conversa que provocou o estopim no coração tolerante do “pjoteiro” responsável pela censura do grupo.Nos próximos dias publicarei outros artigos denunciando o estrago que a PJ vem fazendo na mentalidade da juventude.

Para quem não o conhece, vai uma foto recente de Ruan, moderador do grupo, para que vocês possam reconhecê-lo (ou não) nas reuniões por aí:

Ruan, da Pastoral da Juventude, curtindo o carnaval. Destaque para o "e pinto de graça" na legenda da foto travestido

Ruan, da Pastoral da Juventude, curtindo o carnaval. Destaque para o “e pinto de graça” na legenda da foto travestido

Ah! Vale comentar que meu irmão, Diogo Linhares (dono do blog Captare’s Battle Site) também foi chutado do grupo, mas por sua vez sem qualquer hipocrisia e aviso-prévio (embora eu possa crer que o rapaz, tenha operado o corte em atenção à minha sugestão, ironicamente…). Outro caro colega igualmente conservador, Aurélio Moreira, foi expulso mediante o mesmo aviso que recebi, embora tenha dado uma resposta inigualavelmente mais polida que a minha.

ATUALIZAÇÃO: minutos após publicar este artigo, soube que a namorada do Aurélio foi também limada do grupo. Jamais presenciei animosidade entre ela e os demais membros, o que reforça a denúncia contra a política autoritária dos responsáveis. Não estão meramente eliminando os “arruaceiros”, mas silenciando o pensamento ortodoxo e conservador, que conflita com a ideologia predominante.

Ainda sobre as controversas fotos da fantasia de carnaval do rapaz: dias atrás meu artigo “Nesse carnaval não use camisinha, use o bom senso” (publicado aqui em 06/02/13) foi liberado pelo padre assessor da PJ regional (que também modera o grupo) mas, pouco tempo depois, foi excluído do grupo por outro moderador. Não é preciso esforço para julgar qual dos dois modos de ver o carnaval (o meu, do artigo, e o do Ruan, na foto) está mais de acordo com a vivência cristã…

Vamos aos fatos:

Na tarde de 11 de Fevereiro, fatídico dia da renúncia de Bento XVI, uma moça que participa do grupo (vocês verão mais interações dela em uma próxima denúncia) postou a seguinte mensagem:

01

Essa menina, até onde me pareceu, é ingênua. A publicação foi, a meu ver, um mero exercício da doutrinação da teologia da libertação recebida pela PJ. No entanto, a mensagem não cabia, em absoluto, ser mencionada justamente na sequencia de um fato tão grave para os católicos. Com o máximo de tato possível (poderão ver mais o motivo de tanto cuidado com ela e com os demais “pjoteiros” futuramente) avaliei a mensagem e expressei minha discordância, nesses termos (ler de baixo para cima):

02A meus comentários, um outro jovem, respondeu com essas palavras:

03A partir daqui, eu comecei a “merecer” a expulsão do grupo. Segundo Ruan, atitudes como a minha, a seguir, representam um “conjunto da obra” (novamente ler de baixo para cima):

04Usando os “termos genéricos” que eu pedi que ele não usasse, Bruno Chaves devolveu assim (peço que aguentem o blablabla, pois não demorará muito):

05A resposta final que dei a Bruno Chaves foi esta (em 3 partes, na ordem certa):

06Algumas horas depois, recebi uma mensagem direta da “empregadinha da PJ”, Ruan – posso me referir dessa maneira a ele, já que nos falamos em pleno carnaval e ele podia estar (des)caracterizado ao digitar – me convidando a deixar o grupo por insustentabilidade da minha presença (se Bruno Chaves jogasse o termo no google, talvez encontrasse o verbete intolerância…).

Ele deu ares de consulta, como se fosse possível manter a vaga pedindo desculpas ou implorando, talvez, mas seja por um patente desinteresse em levar a “negociação de rendição” à frente ou por uma profunda mágoa com minha resposta (também pudera, feminilizado daquele jeito que ficou no carnaval!), findou-se assim minha participação no grupo:

expulsao

***

Infelizmente, a Pastoral da Juventude é um dos mais fortes movimentos que lidam com os jovens católicos. Faz-se necessário resgatar a fidelidade à doutrina da Igreja em sua forma mais pura, pelo respeito às palavras do Papa, ao Magistério e, obviamente, ao Evangelho. Esta foi a intenção de nós três, expulsos. Todo o tempo procuramos combater os enganos plantados pelos doutrinadores da teologia da libertação (muito especialmente a aceitação do homossexualismo e do aborto, apoio a partidos políticos comunistas e socialistas e desejos de “modernização da Igreja”) com argumentos e documentos, também publicando material conservador. No entanto, o poder persuasivo dos inimigos da Igreja foi capaz de endurecer os sentidos daqueles jovens, a ponto de reagirem com ignorância cega (e como não dizer: preconceito) até mesmo a postagens com conteúdo de informação (como será demonstrado em breve).

A meu ver, urge aplicar esforços para livrar os adolescentes e jovens dos tentáculos da PJ, sob pena de engrossar o front do exército de modernistas anticlericais que vai sendo alimentado no seio da Igreja Católica por essa militância vermelha travestida de pastoral. Cabe a nós essa vigilância, ao menos até que algum sacerdote tenha a bondade de atentar para a situação.


Veja também:

PJ: Muito barulho por Guevara

Por que um católico não pode ser comunista?

48 pensamentos sobre “PJ: Pastoral da Libertação, Teologia da Juventude Marxista

  1. Olá Bruno, compartilho do mesmo sentimento que você e também fui “chutada” do grupo, da mesma forma que seu irmão, sem qualquer hipocrisia e aviso-prévio. Além de ser conservadora, provavelmente por ser namorada do Aurélio e acharem que seria uma ameaça no grupo ao passar informações a vocês.

    • Olá Josiane.
      Isso é gravíssimo! No tempo que estive no grupo, jamais vi qualquer animosidade entre você e os demais membros. Essa atitude ratifica a empreitada de repressão que os moderadores resolveram adotar. Não estão meramente tentando conter os “arruaceiros”, mas extirpar do grupo o pensamento conservador, afim de tornar mais “pura” a ideologia predominante.

      Absurdo.

  2. Bruno, a leitura que faço disso tudo é uma só. Nossa igreja está dividida, isso é FATO INDISCUTÍVEL! Não cabe agora julgar, pré julgar, ou apontar culpados. Acho que toda divisão só tem um propósito ( crescer ) assim é com nossas células, a divisão se faz necessária para o crescimento. O que mais procuro me ater nesses episódios como o seu, são as intransigências de ambos os lados. Ninguém quer ceder, ninguém quer mudar e para haver união do que foi dividido será necessário intendimento e muito diálogo…..esse é o grande desafio do novo Papa! pois o atual caiu por tudo que me referi acima e outras coisas mais! Abraço fraterno.

    • Fabio,
      Sendo a Igreja o corpo místico de Cristo, ela não pode ficar dividida. Espalhar-se (como aconteceu, em escala mundial, após a ascenção de Nosso Senhor) é completamente diferente das fragmentações ocorridas, como os cismas (oriental e protestante) e divisões faccionais, como as que ocorrem em maior ou menor escala por causa de movimentos como a RCC e a Teologia da Libertação.
      Assim, discordo quando você sugere que divisões sirvam para crescer. Reitero o comentário que fiz ao Ruan: Jesus disse que todo reino DIVIDIDO contra si mesmo será destruído (Mt 12, 25). Ele falava do inferno, mas isso obviamente vale para o Reino dos Céus, visto que essa é a principal estratégia de derrubada da Igreja, operada por seus inimigos.

      • Pode ter certeza Bruno. A verdadeira igreja de Cristo não está calcada na hierarquia , na burocracia e nos templos! Se destruissem todos os templos católicos do mundo junto com o Vaticano a igreja de Cristo continuaria a existir e recomeçar nos campos e nas ruas, pois ela somos nós! ( Quem perder sua vida por causa de MIM A ENCONTRARÁ)

      • Se destruíssem todos os templos a Igreja ressurgiria e reconstruiria os templos, porque estes fazem parte da estrutura, do organismo da Igreja.
        O desprezo pela parte concreta da Igreja, bem como pela hierarquia e pelo papa, em última instância, é próprio de uma ideologia que prefere transformar a Igreja de Cristo num conceito tão abstrato que possa ser substituído por qualquer outro arranjo místico ou psicológico de momento. A teologia da libertação trabalha nesse sentido.

    • Desculpa irmão, geralmente só leio e não participo das discussões, mas essa história de célula que divide e tal num cola não! Cuidado pra não virar um câncer e acabar se destruindo! A igreja deve ser uma, seremos reconhecidos pela forma como nos ajudamos, nos importamos uns com os outros!

      • Usei uma figura de linguagem para enriquecer o texto que não se pode levar ao pé da letra, mas assim sendo, devemos então duvidar de quem criou e ordenou a comunicação celular? Isso é biologia e não teologia! Fica a dica.

      • Você pode ter tido boa intenção, mas a figura utilizada é que é imprecisa. Isso não é biologia nem teologia, é português🙂
        A divisão “boa” para a Igreja é aquela assemelhada à transformação de uma porção de água em gotas. As gotas não só mantém a mesma propriedade do conjunto original, como desempenham o mesmo efeito de molhar, cada uma delas.

      • Concordo, Leandro.
        Sou da opinião que um dos fatores que provoca descrédito do cristianismo nos dias de hoje é a fragmentação provocada pelo protestantismo.
        Quem está de fora deve simplesmente pensar: “Eles não conseguem se entender entre eles, não sou eu quem vai dar atenção pra quem fica de briguinha interna.”

        Ou ainda: “Por que levaríamos a sério a opinião deste ou daquele padre, se sempre há um pastor para dizer o contrário?”

        E por aí vai…

      • olá leandro!!! Nossa Igreja tem varias pastorais (catequese, dizimo, PPI, pastoral familiar…), mas os seguimentos juvenis são varios hj, antes era só PJ, mas hj é necessario avaliar que para a igreja seguir com a sua juventude terá que se desdobrar e acolher todos os seguimento. eu sou considerada (e me considero) PJoteira de carteirinha, e foi dificil aceitar que a igreja precisa de outros seguimentos juvenis pra poder acolher a juventude, por isso acredito sim que a divisão neste sentido é necessario, não podemos impor que o jovem fique no focolares se ele gosta e se identifica com a rcc… aqui na diocese trabalhamos assim, nossa missão aqui é despertar no jovem sua identidade, claro que gostariamos que todos os jovens fossem PJ, mas não podemos forçá-lo a ser….

  3. Este episódio junto com todas as matérias e “análises” que tive contato após a renúncia de Bento XVI, para mim, só demonstram como as forças que querem a destruição da Igreja estão aguardando só um único vacilo ou guarda baixa para atacar de todas as formas. Eu só não consigo entender como estes PJumentos imaginam que uma “reforma” irá melhorar a Igreja. Eles só não observaram que as palavras de Cristo executadas e zeladas pela Igreja são as coisas mais avançadas do mundo. Tanto que os jumentos até hoje ainda não entenderam.

    • Pois é…
      Rezemos para que, com a visita do papa (seja ele quem for), nossos jovens e demais católicos aprendam que, por questão de fé, importa mais obedecer ao Vigário de Cristo e guardar suas palavras que dar ouvidos aos demais líderes, muito abaixo na hierarquia.

  4. Bruno, você ainda permaneceu bastante tempo. Em minha antiga diocese, no interior de S. Paulo, fui expulso da PJ na primeira reunião na tentativa de cria-la. Eu devia ter uns 18 ou 19 anos. Ou até menos. E eram os anos 90. Mas como minha linha de pensamento era muito próxima à do falecido bispo diocesano, um santo homem, que era amigo do meu pai, resolveram por bem, que em minha paróquia não haveria nenhum representante da PJ. (risos) Hoje, passados muitos anos disso, vejo isso acontecendo contigo e vejo que o tempo passa e a praga do Casaldáliga, Betto, Boff e outros, continua tão infestada na Igreja quanto antes, senão mais.

    • Olá, José!

      Infelizmente a situação é mesmo esta. Nos próximos artigos de denúncia ficará mais exemplificada a degradação.
      Eu já passei da fase da PJ também, então o que me resta é reforçar o alerta para quem estiver na fase de entrar.

      Paz e Bem

  5. Já percebir isso a alguns anos atrás, que tem “pejoteiros” alienados querendo fazer da pj uma religião, com até pai nosso próprio, e colocando dentro da missa, no caso, não sendo nem liturgico, e ainda mais, maquiando isso trabalhando dentro dos grupos de jovens, que esses sim realmente são da igreja, temos que ter cuidado em perceber, pessoas querendo manipular pessoas para que fassam o que elas querem e infiltrar dentro da igreja atraves dos grupos de jovens, movimento com ritos e espiritualidade propria, que vai contra o que a igreja pega, hoje eu posso dizer: não sou da pj, sou do grupo de jovens.

  6. Nossa eu estou boquiaberto, ou como dizem por aqui APAVORIZADO. Vamos ao fatos, também quase nunca participo de discussões mais essa mexeu comigo. Sou PEJOTEIRO de carteirinha e sim Rezo o pai nosso dos MARTIRES, danço Negro Nago. exalto ao som de Negra Mariama. Fico muito triste por você Bruno e os seus amigos, que nao tiveram uma boa experiencia na PJ. não conhecia esse lado, mais ainda sim nao muda minha visão sobre os grupos da PJ. eu nao sei como é a PJ na sua realidade mais a que eu conheço nao se parece de forma alguma com esse monstro que você descreve, fiquei chocado por saber que ter alguns grupos assim. e concordo quando fala de algumas divisões dentro de nossa igreja.agora discordo totalmente com o Tiago, que diz que nos da PJ queremos fundar uma religião e bla bla bla bla bla bleee. Mais enfim as vezes uma experiencia mal sucedida faz com que nos tornemos aversos a quela questão. por onde passei e pessoas que conheci nesse brasil de meu deus nunca ouvi falar de uma pj repressora ditadora que expulsa integrantes por ter uma opnião diferente da dos demais, ja vi pessoas sim sair pq nao se sentiu bem e esta em outros movimentos juvenis como RCC, Cursilista, Legiao de Maria. dentre outros. mais descupe meu caro tem algo estranho nessa historia, ou nao estamos falando da mesma PASTORAL.

    • Boa tarde, Kacal. Obrigado pela visita e comentário!

      Ainda tenho mais uns 2 “causos” de gravidade semelhante para contar por aqui; preciso arrumar tempo para concluí-los.

      Talvez você não tenha jamais se deparado com uma situação como a que vivenciei e descrevi por estar alinhado com as bandeiras da PJ. Se for o caso, apenas confirma o que expus.
      Certamente estamos falando da mesma pastoral, já que você, como disse, reza o “pai nosso dos martires”, por influência desse universo “pjoteiro”. Aliás, não conhecia a canção e agora que vi a letra, desgosto um pouquinho mais da PJ (sim, é possível!). A própria atitude sua de aceitar um outro pai nosso, com um conteúdo repleto de idéias revolucionárias comunistas é uma evidência da pestilência da PJ. Nosso Pai celeste não é um revolucionário, ora bolas. Ele não precisa empreender uma revolta contra qualquer um para atingir Seus objetivos, mas antes, manda que os homens se conformem à Sua vontade. Melhor voltar a recitar a oração original. Dispense as imitações baratas.

      Paz e Bem

      • EXISTE DIFERENÇA DE PASTORAL DA JUVENTUDE NACIONAL E DIOCESANA, A MINHA É A DIOCESANA E NÃO TEM ESSA IDEOLOGIA DE FORMA ALGUMA É UMA PASTORAL QUE REMETE A SIMPLICIDADE A CALÇAR AS SANDÁLIAS E EVANGELIZAR OUTROS JOVENS, TEMOS O ODJ E ETC E NÃO TEM OUTRO “PAI NOSSO” MAS CONHEÇO DOIS AMIGOS QUE SÃO PSEUDOS “COMUNISTAS” E PEJOTEIRO COMO TENHO MILHARES DE AMIGOS CONSERVADORES QUE SÃO PEJOTEIROS AQUI ISSO VAI MUITO DE CADA REGIÃO INCLUSIVE EU PARTICIPO DE DUAS PASTORAIS A DA JUVENTUDE E A DO BATISMO E FAÇO PARTE DA LITURGIA NA LEITURA

      • Que bom, Brennda. Deus seja louvado por isso e que o Espírito Santo os conserve assim, livre de contaminação!
        Que Deus abençoe a tua dedicação. A pastoral do batismo é uma das mais importantes.

  7. olá vc não me conheci, cheguei aqui apos uma postagem de uma amiga…”Infelizmente, a Pastoral da Juventude é um dos mais fortes movimentos que lidam com os jovens católicos”… bom infelizmente é triste…! meu caro Bruno vc não pode generalizar, pois assim como tem grupos que vivem na decada de 80 ou 90, tem grupos PJteiros que são atulaizados que seguem a doutrina da igreja e lutam para reorganizar a PJ para as necessidades atuais. infelizmente ah muuuitos radicais, e enquanto uns são expulsos de grupos no facebook, ha tantos jovens precisando de nossa tolerancia para que possamos ajudá-los. de que adianta falar em aor ao proximo se nos odiamos por divergencias de ideias? se não procuramos conviver com elas, tentar mudar os pensamentos caducos, nos atualizando por lutas a tuais, a Juventude não precisa de mais um inimigo: ela mesma!

    Paz e bem!!!

    Adrilene Gonçalves
    PJ diocese de Cametá/PA

    • Boa tarde, Adrilene e obrigado pela visita e comentário!

      Sim, infelizmente é uma expressão de tristeza, pesar.🙂

      O que você quis dizer com “atualização”? A PJ foi criada por correntes de esquerda, não? A teologia da libertação é a aplicação do comunismo através dos (ingênuos) fiéis católicos. Sempre esteve alinhada com ideais de esquerda e isso não é diferente hoje. Basta ver que a PJ apóia a “luta” por “direitos homossexuais” e “direitos reprodutivos” (ou seja, direito para abortar sem ser criminalizado), duas causas abismalmente opostas à doutrina da Igreja.

      Se você pretende me informar de que há jovens verdadeiramente piedosos e fiéis à doutrina católica dentro da PJ, tentando consertar esses enganos (que era o que eu pretendia fazer), ótimo! Mas depois da minha experiência, considero mais saudável dissolver a PJ, evacuá-la, posto que é uma casa em chamas, e chamas do inferno.

      Paz e Bem

  8. É por essas e outras que a “internet é considerada terra de ninguém”… Mas amigo Andarilho se você usasse seus esforços em construir realmente a igreja e não em falar MAL da PJ.. quem sabe teriamos situações diferentes…. é uma pena que a sua experiência de PJ seja frustrada…. mas não queira através de postagens no mínimo infantis…discutir teologicamente qual a linha esta correta… se a da PJ ou a Ortodoxa, Conservadora…. é lamentável… mas também é intrigante pois acredito que você deve ter outros inúmeros motivos para iniciar essa discussão… porém a PJ é uma ação organizada fruto da realidade de muitos jovens do nosso país… que buscam enxergar um Deus próximo e Conosco…. e mais importante…somos TODOS igreja… independente das divisões ou não…. pois você acostumado a usar expressões bíblicas para justificar pensamentos no mínimo preconceituosos… deve estar contente com as coisas que acontecem na sociedade…. só falta agora você publicar um artigo dizendo que Defende a permanência do DepMarcosFeliciano na comissão de direitos humanos da câmara…. faz isso é bem a sua linha e acredito que você compartilha muitas das idéias dele…
    Abraços

    • Boa tarde, TMotta e obrigado pela visita.

      Se você passeasse um pouco pelo blog, ao invés de se limitar a avaliar este único artigo, não teria a impressão incorreta de que eu não contribuo para “construir a igreja”.

      Não vejo a PJ com “fruto da realidade dos jovens”, mas uma espécie de resposta a essa realidade. Ocorre que a PJ é um dos instrumentos da revolução comunista e assim, para os ingênuos, parece apenas mais uma expressão da teologia da libertação (que já é, por si só, ruim). O governo do PT também se disse, sempre, muito preocupado com os marginalizados. E temos aí “as coisas que acontecem na sociedade”, como você parece enxergar.

      Agora, me diga: que pensamentos preconceituosos foram esses que você identificou? Seja mais claro, por favor.

      Quanto ao artigo sobre Marco Feliciano, volte à página inicial do blog que você achará um artigo que faz referência a ele. Espero ter a cabeça boa para entender. Baseado no seu comentário aqui, duvido, mas recomendo que vá ler.

  9. Com base nos comentarios, acredito que tenho apenas 5% do conhecimento das poessoas que expuseram sua opiniao e essa é a primeira vez que posto algum comentário pois o tema me deixou em choque. Participo de atividades da PJ a 5 anos e digo que a Pastoral da Juventude foi uma peça fundamental para o meu crescimento como pessoa e posso facilmente listar 50 pessoas que tiveram a mesma experiência. Nunca, jamais em hipótese alguma presenciei um ato que provocasse qualquer tipo de agressão a um membro de grupos de base. Eu penso que as pessoas que estão dentro da igreja deveriam sair de sua zona de conforto e ajudar a manter aquilo que temos de melhor (falo isso por experiência própria) e toda e qualquer atividade que provocasse constrangimento ou indignação deveria ser tratada de forma em que todos possam caminhar juntos em busca de seus objetivos comuns.
    (Este comentário está sem sentido? Sim. Apenas aquele que conhece a verdadeira face de uma pastoral que atua a mais de 25 anos irá concordar comigo.)

    • Boa tarde, Jonh e obrigado pela visita e comentário.

      Que bom que a PJ te ajudou a crescer. No tempo presente só vejo contribuição para causar regressão mental e espiritual, infelizmente.

      Acredito quando você ou outros comentaristas aqui dizem jamais ter se deparado com um caso assim. Mas, do mesmo modo, conheço católicos de outros estados que também identificaram os mesmos problemas que eu ora aponto, em suas respectivas paróquias/dioceses.

      Muito bem: o que é “aquilo que temos de melhor”, na sua opinião? A flexibilidade de aceitar pecados como coisa normal e boa, para com isso agradar e atrair pessoas para o catolicismo, conforme o Bruno Chaves sugeriu? Descartar a ortodoxia da doutrina e eliminar os símbolos ricos da cultura cristã? Sem falar em derrubar a hierarquia, conforme a Waleska sugeriu, através das palavras de D. Hélder Câmara…

      O que temos de melhor, de mais precioso, Jonh, é o sagrado, é a Revelação, a Verdade, os mandamentos. E é tudo isso que a PJ reduz ao status de só mais uma crença.

  10. Não precisa agradecer a visita, é sempre bom expor as ideia.

    Bom vejo que sua experiencia com a PJ realmente nao foi boua, é digo rezar o pai nosso dos martires não me torna um jovem alienado pela esquerda direita, frente verso, cima, baixo ou qualquer que seja esses âmbitos políticos, e pelo que me parece nao sou eu que sofro influencia não, mais isso nao vem ao casa. como voce deve saber nossa igreja é uma mescla de acontecimentos onde cada ritual sagrado vem de um determinado lugar, e cada momento que vivenciamos em oração é de uma forma diferente a mistica da pj nao esta longe e nem diferente, ou anti catolico ou nao cristao como vi acima em alguns comentario, sim cantamos pai nosso temos pessoas que lutao pela causa que chamamos de martires, pessoas essa como Pe. Gisley cidinha, Frei Caneca, Frida dentre outras, ai vao me dizer que é influencia politica e bla bla bla, nao meu amigo eles se tornam martires pq lutao pelo povo, por nos, a PJ é encantadora, ao meu ver é o local onde os jovens se reúnem pra rezar cantar dançar e ser eles mesmo dentro de nossa igreja sem essa coisa opressora . mais claro respeito a sua opinião. mais te dou uma diga, voce deveria conhecer realmente a PJ.
    Abraços
    Kacal
    Diocese de Lins

    • Kacal,
      Não conhecia esse padre Gisley, mas numa pesquisa que fiz agora para te responder, vi que ele morreu vítima de uma armadilha, quando achava que estava indo para um ENCONTRO SEXUAL HOMOSSEXUAL, é isso mesmo??? Você está me dizendo que um padre corrompido é um dos ícones de martírio da PJ? Significa então que vocês não compreendem sequer o significado de martírio, banalizando o termo. E pra piorar ainda elegem qualquer um para o pedestal!

      São exatamente enganos como essse que está sendo denunciados aqui. A PJ está doutrinando os jovens a aceitarem pecados como comportamento espiritualmente saudável e aceitável.

      Outra pergunta: que “coisa opressora” é essa da qual a PJ deixa os jovens livres?

  11. Pingback: PJ: Muito barulho por Guevara | O Legado d'O Andarilho

  12. Pingback: Mas afinal qual é o problema da Teologia da Libertação? | O Legado d'O Andarilho

  13. A PJ tem sido uma desgraça para a juventude católica no Brasil. E o mais gritante é perceber que a CNBB colabora para essa PJ marxista e infiel ao Papa. Infelizmente faltam bispos fieis e com garra para extirpar esse câncer que tem corrompido tantos jovens.

    • Pois é. Somos um grupinho seleto :p
      Mas como eu já estou casado, vou deixando a faixa etária propícia para ingressar nos grupos, então nem tenho me aventurado muito mais. Fico só na reposição de munição, hehe.

      Paz e Bem!

  14. ridiculos esses seus comentarios contra a pj ideias marxisistas? a onde o poder naoctem mas que ficar com a igreja nao pq nos somos a igreja entendeu? vcs deveriam morar naquela epoca que a igreja mandava em tudo bando de que nao tem nada pra fazer

    • Leonardo, boa tarde!
      Exatamente: ideias marxistas. Você, inclusive, ratificou a acusação com o seu comentário: “o poder não tem mais que ficar com a igreja(…) vcs deveriam morar naquela época em que a Igreja mandava em tudo”.

      Se você acha que “a Igreja mandar em tudo” – do jeito que aprendeu na escola e nos encontros da PJ – é algo terrível, então você foi também conquistado pelo marxismo imperante da PJ.

      É uma pena, mas tem cura: voltar-se para o piedoso respeito pela Igreja Católica, conforme você mesmo professa no credo a cada missa. Se dizemos que cremos na Igreja, mas também cremos nas calúnias levantadas contra ela, sem investigar, sem estudar, então não cremos de verdade, de todo o coração. Pense nisso.

      Paz e Bem

      • O poder da Igreja é centralizado desde sempre. Jesus instituiu a hierarquia da sua igreja colocando Pedro como o príncipe dos apóstolos, conforme visto em diversas passagens como Jo 21, 15: “Tendo eles comido, Jesus perguntou a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes? Respondeu ele: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhes Jesus: Apascenta os meus cordeiros.”.

        Muitas outras passagens dos evangelhos atestam a primazia, ou seja, a precedência que Pedro tinha em relação aos outros apóstolos, sempre tomando a palavra para responder. Em Atos dos Apóstolos, além do registro da pregação de Pedro em Pentecostes e das subsequentes passagens em que ele está em evidência – seja pregando nas sinagogas, seja administrando a recém-nascida comunidade cristã-, temos aquela em que Paulo e Barnabé voltam para Jerusalém a fim de discutir com os apóstolos e anciãos sobre a disputa relacionada à circuncisão, onde é Pedro quem, depois de “grande discussão”, levanta-se e determina que não deveriam mais impor o peso da circuncisão aos convertidos e, como nos diz a Bíblia, “Toda a assembléia o ouviu silenciosamente” (cf. At 15, 12).

        Não só a Bíblia dá todas as dicas da necessidade de hierarquia, mas a história da Igreja Católica ao longo dos séculos o provou também, com tantas heresias que surgiram e precisaram ser combatidas (como o arianismo, o pelagianismo, o monofisismo, etc). Sem esse “poder centralizado”, Leonardo, seria impossível a promessa de Nosso Senhor Jesus Cristo se cumprir: “as portas do inferno não prevalecerão”, pois as divisões provocadas por aquelas interpretações erradas da Verdade, da fé, teriam sido devastadoras. Não é à toa que o fenômeno do protestantismo está aí, sempre questionando a autoridade do papa.

        Hoje, ainda, a autoridade da Sé Apostólica se faz necessária, visto que alguns teólogos ainda disseminam ideias que afrontam os ensinamentos de Jesus, os Mandamentos da Lei de Deus e pervertem a doutrina cristã. Teólogos como Leonardo Boff (tão querido pela PJ e pela “teologia” da libertação), que escreve absurdos textos que aprovam o pecado do homossexualismo, movimentos e reivindicações que promovem o aborto, correntes de pensamento panteístas (já deve ter ouvido a expressão “Mãe Gaia” ou “Mãe Terra”…) que afastam os católicos mais destraídos da legítima fé, da verdadeira adoração ao único Deus.

        Por fim, por ora, destaco que só se revolta contra a autoridade da Igreja quem tem dificuldade (ou serve alguém que a tem) em obedecer a Deus.

        Espero ter respondido a sua pergunta. Estou à disposição.

  15. Descordo do decorrido comentário , a Pj nao apoia o homossexualismo , o próprio papa que nao se mostra a favor mas afirma que se eles buscam a deus quem somos nós para impedir assim como este também vem a dizer que os ateus teriam descanso no céu se se arrependerem como qualquer outro pecador , e a respeito do aborto a Pj e contra qualquer coisa ou movimento que dizime a vida , assim como o aborto , Pj e so uma essência DEUS ama aos jovens , nosso bagunça com cristo , pjoteiro ate morrer

    • Olá, Stephani!
      Você pode discordar, mas negar cegamente essas coisas apenas para defender o indefensável, sem comprovação alguma, não adianta.
      A PJ, ligada através da “teologia da libertação” a partidos de esquerda, como PT, PSOL, PSTU e afins, acaba por encaminhar pessoas inocentes (como você, talvez) para as campanhas e projetos nefastos desses partidos que, inclusive, defendem muitas coisas que afrontam os valores cristãos, como a legalização das drogas, regulamentação da prostituição, mudança de sexo para crianças, invasões de terra, etc.

      Pesquise bem pra ver se você não encontra homens que se dizem padres mas que apóiam movimentos como o MST e MTST. Aqui no blog mesmo, no artigo “Quando o PSOL bater na janela do teu browser…” (https://oandarilho01.wordpress.com/2012/09/19/quando-o-psol-bater-na-janela-do-teu-browser/) você verá uma discussão minha com um candidato do PSOL que fez uma confusão dos diabos (literalmente). E isso em 2012, quando a PJ aqui do Rio de Janeiro tinha pessoas com perfil de liderança apoiando declaradamente o Marcelo Freixo, um dos promotores do aborto na ALERJ.

      Quando você mesma diz que “a PJ não apoia o homossexualismo”, mas acrescenta que “o papa que não se mostra a favor afirma que se eles buscam a Deus quem somos nós pra impedir”, está demonstrando a confusão que a PJ fez na sua cabeça. É óbvio, evidente, que os católicos não “impedem” gays de se aproximarem da Igreja, afinal, é através de Cristo que eles serão SALVOS. E salvar-se significa RENUNCIAR O PECADO, neste caso, o pecado do homossexualismo.

      Quanto à salvação para os ateus, recomendo este artigo dos meus amigos do site O Catequista: “O Papa Francisco e a salvação dos ateus” http://ocatequista.com.br/archives/9652

      Sobre o aborto, mesma coisa que falei acima: enquanto a PJ estiver alinhada com a ideologia comunista, de esquerda, estará ajudando a promover o aborto no Brasil. Enquanto a PJ continuar com a bobagem de lutar “contra o extermínio dos jovens e negros”, tratando do problema da criminalidade e violência pelo lado errado, estará ajudando a se perpetuar um estado de coisas em que jovens morrem porque são ensinados que são “vítimas da sociedade opressora” e não teriam culpa de desviar-se para a criminalidade.

      Lembre-se: PJ é apenas um movimento. A sã doutrina da Igreja Católica – que a PJ ensina desprezar, como se vê no artigo – e os ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo são muito maiores, preciosos e perpétuos.

      Paz e Bem

  16. sim nos somos totalmente contra o extermínio de jovens sim, se somos contra o extermínio como somos a favor do aborto? se nós ensinamos como viver em sociedade é errado ? mostramos o defeito da sociedade o racismo dela os males dela a insegurança com a justiça tudo de errado com ela isso a pj faz , pj nao promove o homossexualismo e sim ensinamos a conviver com eles e respeitar as diferenças pois ninguém e perfeito e respeito aprendemos dentro da igreja

    • Leonardo, preste atenção: ninguém é “a favor” de extermínio de jovens, obviamente. Mas essa expressão é utilizada para desculpar, aliviar, comportamentos errados e danosos à sociedade. Quando a PJ e os políticos de esquerda que ela apóia falam em “lutar contra o extermínio dos jovens negros”, eles fazem isso para poder dizer, dentre outras coisas que:

      1) a PM é uma força invariavelmente truculenta, violenta e arbitrária que precisa ser extinta – o que é um absurdo;
      2) o consumo e a venda das drogas deveriam ser legalizados para rezudir o efeito do tráfico na juventude – o que é uma falácia;
      3) para promover políticas de cotas raciais, que só fazem aumentar a segregação, além de serem muito injustas;

      Você me pergunta:

      “se somos contra o extermínio como somos a favor do aborto?”. Já te respondi: dando apoio aos partidos políticos de esquerda (PT, PSOL, PSTU, PV, PCdoB, etc) que são todos abortistas.

      “se nõs ensinamos como viver em sociedade é errado?”. Dependendo do que vocês ensinam, é errado, sim.

  17. Caro amigo percebo que e uma pessoa muito estudada peço humildemente que assista ao filme anel de tocum obrigada

    • Eu vi esse filme há muito tempo!
      Você acreditou realmente no absurdo que é a história do filme?
      Estude, estude muito, mas estude direito. Estude o CIC, leia Thomas de Aquino, Agostinho. Não leia Boff, Beto e cia. Eles são farsantes e só querem destruir nossa igreja.

  18. Me entristece me deparar com jovens tão alienados e preconceituosos dentro da igreja católica… PJ proporciona ao Jovem um modo de ser, de ver, de pensar e testemunhar o Projeto de Deus por meio da Vida que Jesus Cristo que veio para todos, mas principalmente para os pobres, os oprimidos, os marginalizados da sociedade…basta analisar as atitudes de Jesus, vê como ele se relacionava com o povo, vê que ele era pelos injustiçados…ele nao se fechava em si, ia ao encontro do povo….A PJ oferece ao jovem a perceber esse Jesus Cristo vivo, concreto e real no meio da nossa realidade. A PJ quer jovens atuantes nas comunidades, levando sua alegria, sua inquietação diante das realidades injustas… A PJ quer promover jovens com espirito de liderança…A PJ quer ver a Juventude viver…. Infelizmente existe um seguimento juvenil com gandes prncípios de Farizeísmos e Conservadorismo que se fecha em seus grupos de igrejas regados a ambientes climatizados, busca APENAS DA SENSAÇÃO DE BEM ESTAR….e dalí com suas orações regado a muito choro e lamentações, tirando a alegria da juventude, tornando jovens tristes e com medo excessivo de Deus…DEUS É AMOR , É MISERICÓRDIA, DEUS É JOVEM TBM MEU CARO…..MAS NAO SE PREOCUPE QUE NÓS DA PJ JA ESTAMOS REZANDO MUITO POR VCS…..

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s