A infelicidade com Marco Feliciano


marco-feliciano

(Fonte: Verdade Gospel)

Eu não endosso a figura de Marco Feliciano. Como, aliás, não endosso qualquer líder neo-pentecostal. Até concordo com quem me diz que a máxima “o inimigo do meu inimigo é meu amigo” não deva se aplicada a todas as situações que assim a emoção possa nos sugerir. No entanto não me furtarei de dar um destaque à perseguição que o deputado passou a sofrer desde que foi indicado à presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal.

O que vale ser apontado aqui são as diferenças entre o modo de atuação dos cristãos e dos militantes gays:
Os cristãos que viram notícia na mídia brasileira hodierna são acusados de incitar a violência, de promover “discurso de ódio”. Mas nunca se viu reportagem que tenha registrado um ataque de massa raivosa de “crentes” contra uma boate gay.
Os militantes gays, para supostamente exigir respeito que supostamente seria a condição necessária para mantê-los a salvo da violência, fazem uso de truculência e algazarra contra os cristãos, ameaçando sua integridade física das formas mais diversas, expressando uma violência ímpar. E isso não é só contra Marco Feliciano, que ora está em voga. Isso é sempre! Foi assim contra a Caravana pela família promovida pelo IPCO, recentemente, foi assim com os jovens católicos participantes da Jornada Mundial da Juventude em Madrid (2011). O episódio da marcha feminista no Rio de Janeiro, que invadiu uma igreja católica em horário de missa com crianças, proferindo xingamentos e ultrajando o pudor colocando seios à mostra, é outro exemplo da atuação dos grupos que se organizam contra a doutrina cristã.

É claro que Marco Feliciano sabia muito bem o que o aguardava. Torço para que a força da sua figura pública detenha o avanço dos militantes gays, que ofereça resistência aos absurdos que eles propõem e tentam empreender contra aqueles que ousam levantar a voz contra seu estilo de socialização (afinal trata-se muito mais da interação dos que se assumem gays com o restante da sociedade, do que meramente de desaprovar a preferência sexual). Xuxa que se cuide, senão já já vai estar lançando “Xuxa só para presídios”.

Fui informado de que grupos gays estão preparando mais manifestações de repúdio a Marco Feliciano através da sua comunicação interna. Há uma convocação para pressionar o deputado Marco Feliciano e seu partido. Abaixo, comunicado interno atribuído a lídereres gays do Brasil.

***

Colegas, quem sabe faz a hora nao espera acontecer.
Sex, 8 de Mar de 2013 1:51 pm
Vamos vamos mobilizar os gays deste país para um ato contra o Novo presidente da Comissão de (des) respeito aos Direitos Humanos da Camara Federal.

Iniciando num local público e central para imprensa e comunidade .

Terminando na sede do PSC nas suas cidades. Se não tiver na porta do PSDB do Pastor João campos que organizou e votou pelo Feliciano.

Luiz Mott, GGB, pode ensinar pedagogicamente as ativistas como fazer um ato com pouco recurso e muita mobilização na midia, especialmente nas editorias de política dos jornais impressos,rádios e tvs e muita mobilização pela rede social.

Pode nos mandar os 24 passos de um bom ato de manifesto, Luiz Mott/

Veja em Goiás o que faremos.

As ONG Articulação Brasileira de Gays – Artgay, Grupo eles por eles – GEE, Grupo de Lésbicas de Goiás – GLG, Associação Goiana LGBT – AGLT, Associação Desportiva LGBT – ADGLT e outras promovem neste sábado em Goiania – Goiás uma marcha contra a indicação do pastor Feliciano para a comissão de Direitos Humanos na Camara Federal. O Ato de Repúdio à indicação e nomeação do Deputado e Pastor Marco Feliciano (Partido Social Cristão) para presidir a Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara Federal, à realizar-se no dia 20 de março de 2013, a partir das 09h.

Cronograma:
09h – Concentração – Praça Cívica – Centro – Goiânia – Goiás
09h30m – Passeata rumo ao Diretório Estadual do PSC, sito à Av. Cora Coralina, nº 51, Setor Sul, Goiânia-Goiás.

Abaixo o Machismo, Homofobia e Racismo. Viva o Estado Laico.

info:
Abadio ( AGLT ) 62 – XXXX 3317
Odílio ( GEE ) – 62 – XXXX 5770
Léo Mendes ( Artgay ) – 62 XXXX 6893

Participe, compartilhe, traga seus amigos e amigas
L* L* Mendes
Consultor em Direitos Humanos

***

Recebi a informação tal como se apresenta entre os “***”.
Pode ser mentirosa? Pode. Embora eu esteja inclinado a duvidar e exista, publicamente (para quem é usuário do facebook) a infomação de várias “marchas” pelo país em manifestação contra o deputado. Bastou pesquisar pela frase: “marcha goiânia contra marco feliciano” que rapidamente eu cheguei neste link: https://www.facebook.com/notes/lihs-liga-humanista-secular-do-brasil/marchas-confirmadas-contra-marco-feliciano-na-comiss%C3%A3o-de-direitos-humanos-s%C3%A1bad/625138050836656

E através dessa página chega-se ao link específico da ação em Goiânia: https://www.facebook.com/events/476866269035447/
Inclusive, avisa-se que o local da concentração mudou.

Pode ser uma armadilha para cristãos comparecerem e assim fazer eclodir um confronto físico? Pode.
Em todo o caso, fica o registro.
Para o Rio de Janeiro, há uma passeata em Copacabana, marcada para o próximo dia 16.

Não sei o que acontecerá como consequência desse cabo-de-guerra (o acordo ortográfico fica para outro dia). Sou da opinião que, se o PSC ganhou a chance de colocar um cristão na CDHM (e, a que preço, tenho até receio de descobrir…) que tivesse escolhido alguém menos polêmico, já que havia outros nomes relacionados à CDHM no quadro do partido. Mas, se agora assim ficou decidido, que pelo menos o partido não ceda à pressão. Que, aliás, as autoridades da câmara não cedam. Em se tratando de democracia, há limites para as reivindicações e manifestações de repúdio. A eleição dele, até que decida em contrário, foi válida e democrática. Cabe à “minoria” gay – se algum dia vir a compreender o jogo democrático – esperar o próximo turno. Se houver o risco de perder a direção da comissão, é melhor o PSC resistir e tratar de garantir que o presidente da comissão desempenhe um bom trabalho.

Se podemos sobreviver sob a administração de uma ex-guerrilheira comunista, podemos esperar um alívio e retrocesso do gayzismo mesmo sob a égide de um pastor explorador.
Acredito que, diferentemente dos gays militantes, as demais pessoas são capazes de exercitar mais de uma dimensão da própria personalidade. Os homossexuais ativistas só vivem pelo seu aspecto sexual, infelizmente.

É preciso lembrar que os deputados militantes gays, como Jean Wyllys e Érika Kokay se recusaram até mesmo a votar contra Marco Feliciano. O ex-celebridade meteórica Jean Wyllys disse, inclusive (assim diz a Veja Online) que não fará mais parte da comissão. Um clássico exemplo do “dono da bola” chorão e mau perdedor. É neles que a turba gay deveria focar nesse momento…

Relembre aqui um pouco mais da índole dessa dupla de deputados.


Veja também:

Patrulha gayzista

Paródia Faroeste Wyllys

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s