PJ: Muito barulho por Guevara


Sou “católico”, da TL, pjoteiro, qué mais o quê?
Leonardo Boff, e “frei” Betto, pjoteiros, qué mais o quê?

che-guevara-boina-PJNo início de Outubro de 2012 aproveitei a publicação da tradução de um artigo que trazia frases de Che Guevara, o herói revolucionário da PJ (mas um “porco fedorendo” para tantos outros), para alertar os jovens do grupo a respeito da incoerência de se espelhar na falsa biografia  – ou, quando muito, na simples concepção errada que se tem – do “mito”.

Foi o início dos conflitos que culminou com a expulsão em massa de alguns membros do grupo de facebook, conforme denunciei aqui em fevereiro. Desejo com essa segunda história em quadrinhos apontar mais alguns aspectos da mentalidade formada pela liderança da Pastoral da Juventude.

O destaque na conversa a seguir, fica a cargo do vitimismo de Bruno Chaves ao lidar com a informação que eu passei. Esse vitimismo é uma constante no discurso da nova geração de militantes da esquerda. Para os inocentes úteis esquerdistas, a menor e mais branda crítica é prontamente tomada como uma ofensa grave. Ironicamente eles costumam “devolver” a ofensa com rudes atitudes…

OBS: A conversa foi apresentada na íntegra, sem ofuscação das identidades dos envolvidos. Todos devem se responsáveis pelo que escrevem nas redes sociais. As imagens apresentam um leve picote que foi mantido para atestar a não-manipulação, a sua integridade. Espero que não atrapalhe a compreensão.

caso-guevara-pt1

Transcrição dos links em [1]

Vale observar o seguinte: reparem que em minha primeira resposta eu questionei se “parecia estar trabalhando pelo fim da PJ”. Àquela época, com efeito, não. Hoje, sim.

Em seguida, entrou na discussão um dos trolls principais desse grupo, Walmyr Junior. Chegou apresentando um diploma de historiador (na época era apenas um estudante, formou-se algum tempo depois), ignorando que cabe ao acusador o ônus da prova e tentou encerrar prematuramente a conversa, à força de exigências, de gabaritos que mesmo ele não foi capaz de fornecer. Interessa também destacar que Walmyr quis atrair o foco do tópico para si, dando um cunho pessoal para o debate.

che_guevara-PJRJ-04

Nenhuma oferta de contra-argumentos, nenhum esforço para desmentir uma suposta calúnia/acusação, nenhum apreço pelo debate, apenas truculência. Verão, mais abaixo, que esse rapaz retornará somente mais de 24h depois, ainda sem contribuir positivamente, mantendo a mesma posição inútil.

Na sequência, Bruno Chaves retorna, desenvolvendo um pouco mais o vitimismo e transmutando uma crítica em provocação/ofensa, como se não fosse nosso dever alertar os irmãos quando estão em perigo. Eu tento retomar o assunto do tópico, que era a admiração tresloucada da figura de Che Guevara que a PJ tem, mas às vezes finge não ter. Neste ponto une-se ao debate um outro administrador do grupo, Leandro Mello. Ele acrescenta um aspecto curioso ao problema: parece concordar que seja estranho e incoerente admirar Che Guevara, mas faz do meu alerta um cavalo de batalha só porque eu apontei o dedo acusador para membros da seita PJ.

caso-guevara-pt2Claramente não houve contradição da minha parte, visto que eu realmente escrevi “É óbvio que direciono à PJ“, mas me referia à postagem em si, pelo fato de ter publicado dentro do grupo da PJ (basta ver o contexto em que respondi Bruno Chaves na primeira coluna da imagem).

Depois disso, conforme as imagens finais abaixo, respondi Leandro Mello e Bruno Chaves uma última vez e, quando um outro rapaz que foi também expulso, Aurélio Moreira, deixa um comentário, Walmyr retorna para não colaborar, mesmo com todo o esforço de Aurélio para indicar documentos para aprofundamento do tema:

caso-guevara-pt3

Transcrição dos links em [2]

O comportamento de Walmyr, caro leitor, é o registro de uma das estratégias dos esquerdistas: desqualificar e desconversar. Acuse seu opositor de não ser capacitado intelectualmente, de não ter a carga acadêmica necessária para falar sobre o assunto (mesmo que você também não tenha) e com isso fique desobrigado de refutar qualquer argumento que ele utiliza; tanto quanto possível, insira elementos estranhos ao universo do tema e evite ao máximo dar satisfação ou responder diretamente a questionamentos.

Qualquer um que já tenha discutido sobre aborto e movimento gay pela Internet afora já terá certamente se deparado com gente que age dessa forma. E é assim que a PJ forma seus militantes.

Em breve compilarei uma terceira denúncia, uma confusão qualquer coisa engraçada, motivada pela minha imagem degradada dentro do grupo e pelo rancor dos participantes para com a minha pessoa. Tudo isso gerou uma cegueira, que desencadeou uma aversão coletiva às minhas palavras. Ops! Será que até eu estou me tornando vitimista? Convivência? Julgue por si próprios. Fique ligado no blog e confira a terceira parte: “Quem tem medo do Halloween?”

Ah! E antes que digam que “pjoteiro” vestido com camisa do Che Guevara é um mito, encerro com uma foto tirada em um encontro nacional da seita.

che-guevara-fila-comunhao-ENPJ


[1] http://logosapologetica.com/10-citacoes-de-che-guevara-que-a-esquerda-prefere-nao-falar

[2] http://oandariloh01.wordpress.com/2012/10/11/et-in-qua-mensura-mensi-fueritis-remetietur-vobis
http://padrepauloricardo.org/episodios/os-martires-de-hoje
http://www.mises.org.br/Arcticle.aspx?id=260

http://www.erealizacoes.com.br/ecom/produtos_descricao.asp?lang=pt_br&codigo_produto=1126
http://www.nomundoenoslivros.com/2010/05/entrevista-humberto-fontova.html
http://ocatequista.com.br/?p=7201

Para rir: Che Guevara e os cristãos – uma visão completamente equivocada


Veja também:

Che: A trajetória de um assassino e fracassado reverenciado

Anúncios

8 pensamentos sobre “PJ: Muito barulho por Guevara

  1. Pingback: PJ: Pastoral da Libertação, Teologia da Juventude Marxista | O Legado d'O Andarilho

  2. Bruno, Paz e bem…
    Muito boa essa sua colocação…
    Gostei de tudo o que vc disse, também percebi o vitimismo enlouquecido dos pjteiros…
    A impressão que dá é que qualquer coisa que a gente fale contra eles eles se jogam no chão e começam a chorar… IMPRESSIONANTE…
    Sem contar do patrulhamento ideológico: “Vc não concorda com a gente, vc nos acusa: vamos detonar a sua imagem, vamos fritar vc vivo….”

    Gostei do outro rapaz ter entrado pra “te defender”, não por precisar de defesa, mas nós Cristãos Católicos Apostólicos Romanos muitas veze somos bobos e medrosos… Até concordamos, mas evitamos “tomar partido”, ou até “evitamos nos indispor”… É a desgraça do politicamente correto…

    Força ai, e estamos juntos…

    • Boa tarde, Renê!

      Muito obrigado pelo seu comentário.
      Pois é, esse histrionismo (acabei aprendendo o termo por causa desses episódios) presente no comportamento dos pjoteiros é o que mais dificulta um trabalho caridoso de alerta contra erros. Os esquerdistas são ensinados a reagir assim contra qualquer crítica, de forma a preservar pura a militância. A tarefa difícil é, portanto, aprender como neutralizar essa influência negativa a tempo. Uma das vias que proponho é esvaziar a PJ.

      Paz e Bem

  3. Caro Bruno!
    Bom dia e parabéns pelo trabalho no blog.
    Realmente tenho que concordar com o que você denuncia sobre essa ideologia da libertação. No entanto, gostaria de pedir que você passasse a considerar que já existem grupos de Pastoral da Juventude que romperam com esse modelo de pastoral de pastoral enraizada na ideologia da depressão. Sou coordenador de Pastoral da Juventude em minha Paróquia (São José de Abreu e Lima/PE) e sempre me preocupei com estas questões teologais. Deixo claro que não compactuamos dessa ideologia que visa destruir o cristianismo e implantar os ideais políticos de uma sociedade comunista e socialista que se auto-destruirá. Somos Pastoral da Juventude e mantemos nossa fidelidade à Santa Igreja na pessoa do Papa, ao seu Magistério e acreditamos que é possível reengenhar (termo que inventei) esta pastoral para que a Missão de Evangelizar a Juventude seja fiel aos ensinamentos de Cristo, nosso Senhor. Parabéns pelo trabalho e mesmo não parecendo muita coisa, gostaria que você soubesse que bem longe existem pessoas que lutam para extinguir o mal chamado TL da depressão e não Pastoral da Juventude em si.

    Caso queira saber um pouco mais sobre nosso trabalho é só clicar no meu nome neste comentário.

    Que a paz de Cristo e o amor de Maria estejam com todos nós. Amém!

    • Boa tarde, Herbert, viva Cristo Rei!
      Obrigado pela atenção em comentar.

      Acredito que haja sim, jovens e grupos que, apesar de se fundarem sobre a orientação da PJ possam estar livres da corrupção da teologia da libertação. No entanto, penso que não seja plenamente produtivo se manterem atrelados ao nome Pastoral da Juventude, utilizar a alcunha de pjoteiros e demais símbolos que remetam a este movimento gravemente infectado pela ideologia anticristã comunista.

      À minha época de adolescência e juventude, era muito comum as paróquias criarem e manterem seus grupos de jovens, com nomes próprios (o da minha paróquia, Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças, chamava-se UCJ – União Cristã dos Jovens). Isso foi num tempo em que a PJ ainda não conquistara a juventude daquela região, em meados dos anos 90.
      Por isso acredito ser perfeitamente possível exitir grupo de jovens católicos que NÃO SEJA PJ, que não siga a metodologia da PJ e que não fique com seu nome manchado pelas bandeiras político-sociais nefastas da Pastoral da Juventude, materialistas, modernistas, anticlericais e anticristãs.

      Reitero que muito me alegra saber do seu grupo, Herbert. Rezarei frequentemente para que vocês sejam firmes e mais fortes que o câncer que já adoeceu a juventude carioca.

      Visitei o site e o blog. Ainda está bem no começo, pelo visto. Mas já consegue manter em mim a preocupação em voga, em especial por ter visto a chamada para participar de atividades do calendário da PJ, como o manifesto contra a redução da maioridade penal. Fica difícil crer que o grupo conseguirá se manter firme contra a má influência da diretoria da PJ. Sendo fiéis em alguns temas, a tendência é se fidelizar ao “espírito da PJ” nos demais.
      Os comentários no artigo, inclusive, reforçam o sentimento de devoção à PJ (“PJ aqui, lá, em qualquer lugar”, “um só pensamento, um só coração, sou PJ de coração”). Eu vejo muito “pjoteiro” começando a conversar assim e terminando como esses que apresento nos meus artigos. E em questão de minutos.
      Em tempo: alguém deixou comentários assinando como “Papa Francisco”. Sugiro dar atenção a essa pessoa, porque me pareceu sensata e ao mesmo tempo interessada em contribuir para a sanidade do seu grupo de jovens.

      Paz e Bem

  4. Pingback: Por que um católico não pode ser comunista? | O Legado d'O Andarilho

  5. Perfeito artigo, bom saber que ha ainda uma juventude viva, que luta para manter a Verdade de Cristo resguardada das insanidades de um mundo relativista. Que Deus continue te guiando e que a sabedoria do DIvino Espírito Santo ilumine sua mente, colocando-te cada vez mais a serviço do Pai, mesmo que a Verdade seja motivo de grandes angústias e sofrimento, que no martírio de Cristo, você encontre a força e o sustento para não esmaecer. “Christo Nihil Praeponere”
    Fique com Deus e conte com minhas orações

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s