Dossiê cristão dos pré-candidatos ao governo do RJ


Resolvi fazer uma pesquisa no histórico dos pré-candidatos ao governo do RJ nas eleições 2014, a fim de averiguar e informar meus leitores sobre o posicionamento deles quanto a temas de interesse moral cristão. Eis o resultado do escrutínio:

precandidatos-RJ-2014# Aborto

Cesar Maia (DEM): já ironizou o governador Sérgio Cabral por este ter feito uma interpretação extremista da correlação com alta taxa de natalidade e criminalidade – oferecendo maior acesso ao aborto como solução – que leu no ensaio de economistas americanos. Apesar de ser acusado de não ter feito muita coisa para fechar clínicas clandestinas de aborto, baixou o decreto 25.745/05 que, desafiando a portaria 1508/05 do Min. da Saúde, conservava a exigência de B.O. para casos de alegado estupro. Cavando um pouco mais fundo nos registros históricos políticos, descobre-se que ele foi deputado constituinte, ou seja, participou dos debates e votações que nos legaram a atual Constituição Federal (de 1988); o site da Associação Nacional Pró-vida e Pró-família avisa que César Maia (então filiado ao PDT) SE ABSTEVE da votação para o destaque que pretendia proteger a vida desde a concepção;
Garotinho (PR): espera-se de um político cristão confesso (ainda mais quando faz da religião sua plataforma) que seja contrário ao aborto. Infelizmente eles costumam desafiar esta lógica elementar (militontos do PT que o digam!). Entretanto, não parece ser o caso de Anthony Garotinho, já que conta-se por aí que no ano passado ele aventou no Congresso um referendo para consulta popular ao assunto, além de ter ficado ao lado dos conservadores na disputa com o STF quando aprovou o aborto de bebês anencéfalos;
Jandira Feghali (PCdoB): de pronto, a pesquisa retorna que a candidata se auto intitula “histórica defensora do direito ao aborto”. Nenhuma surpresa, ao se considerar o “C” da questão (no nome do partido). E não é blefe. Enquanto deputada federal, fez “o diabo” (como diria Dilma) para liberar geral o assassinato de seres humanos inocentes;
Lindbergh Farias (PT): outro que não nos surpreende quando o assunto é moralidade cristã, dado o partido. Comprometido com o socialismo, não “pisa fora da faixa”. Votou contra a PEC 25/95 que visava explicitar a defesa da vida desde a concepção na CF;
Luiz Pezão (PMDB): Esboçou simpatia por D. Orani quando este assumiu o arcebispado do Rio de Janeiro e ele era o governador em exercício. Sabem como é: PMDB é um primo tímido do PT, então podemos talvez esperar o velho truque de bajular primeiro, trair depois. Não encontrei, de pronto, referências cruzadas dele com o aborto. No mais, ele foi vice de Sérgio Cabral por dois mandatos e está sendo ofertado como seu “continuista”; será que vai querer fazer algo diferente?;
Marcelo Crivella (PRB): Aqui está uma figura dúbia quanto ao assunto. Já deu declarações sendo contra, já foi apontado em oposição ao seu tio e líder da seita protestante “Igreja Universal” (que tem forte influência no partido) Edir Macedo, que é declaradamente favorável ao aborto. No passado, nos idos de 2010, figurou entre os defensores da então candidata Dilma, quando sofria os justos ataques dos cristãos por causa do tema;
Miro Teixeira (PROS): Um livro de antropologia urbana lançado em 1999 contém um quadrinho de opiniões dos candidatos ao governo do RJ daquela época. Lá, Miro Teixeira aparece com tendo respondido favoravelmente à legalização do aborto (vale frisar que isso é sempre pior que a mera descriminalização). Ele, assim como César Maia, foi deputado constituinte, só que, demonstrando firmeza de convicção, votou NÃO para o destaque pró-vida;
Professor Tarcísio Motta (PSOL): um desconhecido, trabalhando para um partido com conhecida preferência pelo aborto. Professor de história no Colégio Pedro II. Pelo que o seu facebook me contou, é amigo/apoiador de abortistas. Mas, claro, ainda que se diga contrário, vindo por onde vem, comunista do jeito que é, não acreditem;
Cyro Garcia (PSTU): Já defendia a descriminalização do aborto em sua campanha pela prefeitura do Rio de 2012.

# Gayzismo

Cesar Maia (DEM): pesa contra ele ter sancionado a lei 2475/96 que instituiu punições para estabelecimentos comerciais, industriais ou repartições públicas por “discriminação”. Diz-se que ele fez duras críticas a um cartaz do Min. da Saúde que incentivava o uso de camisinha para gays, mas a intenção dele aparentemente era preservar a “dignidade” deles, evitando expô-los como os promíscuos e sodomitas de sempre, ao invés de lhes sugerir caminho melhor. Marcelo Garcia, que foi seu secretário de assistência social municipal afirma que o mandato de Cesar Maia foi muito produtivo para os disparates dos gays, inclusive apoiando as suas “paradas”. Vai ver a paixão do vereador pela cor laranja era só uma extravazada, uma superexposição do gosto pela cor rosa…;
Garotinho (PR): não há necessidade de falar muito sobre a opinião dele acerca do gayzismo, basta o leitor lançar “Garotinho gays” no google que, salvo dois apontamentos para um vídeo de menino que, baseado no resumo da página de pesquisa, aprova – do alto da sua ingenuidade – o imbróglio, o restante dos resultados divulga sua posição contrária, muitas vezes através da crítica ressentida de alguns autores;
Jandira Feghali (PCdoB): a despeito da expressiva* (O.o) quantidade de resultados cruzados para a busca de “jandira gays”, é bem verdade que a pré-candidata segue a cartilha do marxismo cultura mais elementar, ficando do lado da minoria fabricada preferida de 13 em 13 esquerdistas modernosos. Foi uma das deputadas que se opôs às tentativas de sustar a resolução do CFP que proíbe a assistência psicológica a gays que sofrem com sua condição indignificante;
Lindbergh Farias (PT): registra-se que votou pelo “sepultamento” do infame PL122, fato que certamente causou consternação na nação arco-íris. Mas, infelizmente, em tempos de judiciário do STF vendido, os homossexuais têm pouco a perder com as batalhas no legislativo. Outrossim, Lindbergh é um esquerdista muito consciente: já declarou que se inspira muito no ex-presidente Lula e todos sabem o quanto admira Dilma (criatura do 9-dedos ligeiramente mais evoluída que ele). Em outras palavras: sabe dissimular como poucos, vê-se logo que sua aproximação do proeminente líder protestante Silas Malafaia envolveria toma lá dá cá na esfera moral. No fim das contas resta sempre a máxima: estrela que oscila, o PT logo apaga;
Luiz Pezão (PMDB): se o mito popular da correspondência entre o tamanho do pé e do pênis estiver certo e for levado em conta, este candidato cairá mesmo nas graças dos gays. Do que depender da estreita relação de amor desenvolvida por seu superior, Sérgio Cabral, nada falta. É só continuar a acariciar os efeminados. De novo, não há muita informação dele nesse campo, vi somente uma indicação de afinidade com o líder protestante Abner Ferreira. Ainda assim, ele foi vice de Sérgio Cabral por dois mandatos e está sendo ofertado como seu “continuista”; será que vai querer fazer algo diferente?;
Marcelo Crivella (PRB): jogaram o anzol do Ministro da Pesca no meio do mar tempestuoso das negociatas do PL122. Conta-se que ele só queria defender a liberdade religiosa, mas esse caso específico é um daqueles em que negociar com o adversário é altamente desencorajado. Ele chegou a dizer que a nova redação do PL122, de sua co-autoria, “não é uma lei só para o homossexual, punindo também crimes contra heterossexuais”. O PL122 é uma aberração legislativa! Sob qualquer ótica percebe-se um claro desejo de autoritarismo por parte da militância gay. Se Crivella tergiversa, boa coisa não se pode esperar dele;
Miro Teixeira (PROS): Na mesma pesquisa do livro citado acima, Miro declara concordar com a adoção de crianças por pares gays.
Professor Tarcísio Motta (PSOL): PSOL merece ser chamado “Partido da Sodomia Outorgada por Lei”. Os porta-vozes da turminha no RJ não compõem uma só frase que não traga gay (ou LGBT) e militância; como um ritual de passagem, o cidadão psolista tem que ser amante de gays. Os textos que divulgam a pré-candidatura e Tarcísio Motta não fogem à gramática deles;
Cyro Garcia (PSTU): no filão dos discípulos de Marx, o PSTU chega nas lanternas, mas com não menos empolgação pela doutrina requentada da oposição de classes. O partido é contra a “homofobia” e num de seus vídeos de campanha, declara apoio à luta. Como todo retardatário que precisa mostrar serviço pra não ser descartado, mergulha de cabeça na questão e demanda a implantação do “dilmamente embargado” kit-gay.

* parece haver um antro de boiolagem numa cidade chamada Jandira-SP; vi até um título: “procuro pé de mesa para amizade de rola”. Triste.

# Corrupção
Cesar Maia (DEM): há registro de investigações contra ele, por improbidade administrativa, por favorecimento de uma empresa em licitação da época dos jogos Pan-Americanos. Há também uma ação civil pública do MPRJ pedindo devolução de mais de R$ 4 milhões por gastos excessivos e falta de planejamento no orçamento da construção da “Cidade da Música” (aquele prédio no fim da av. Ayrton Sena que de longe parece um barco afundando). Foi condenado em 2012 a perder direitos políticos, mas ainda está recorrendo, pelo visto. O caso refere-se à construção controversa de uma igreja de São Jorge na zona oeste do Rio. Reclama-se de que deu pouca atenção (e verbas…) para os hospitais e escolas municipais. Nos postos de educação, se deixou faltar merenda (aliás, parece que todo prefeito deixa sempre os “filhos dos pobres” com fome…), não deixou faltar uniformes, praticamente transformando as crianças nos “garis do amanhã”. Tem fama de megalomaníaco, mas fazendo-se as contas, talvez empatasse com o atual prefeito;
Garotinho (PR): condenado em 2010 por formação de quadrilha, num esquema de corrupção utilizando-se da estrutura da Polícia Civil do Rio, deu seus pulos e conseguiu prosseguir na vida política em liberdade. Já foi acusado também, pelo procurador geral da república, de envolvimento em desvio de verbas estaduais e lavagem de dinheiro em conjunto com sua esposa e (assim como ele) ex-governadora Rosinha. Em 2013, 8 investigações que tramitavam no STF (de um total de 29) referiam-se a Garotinho, boa parte ao seu mandato como governador do RJ. Escavando a Internet é possível encontrar até relatos de corrupção praticados por ele muito antes de assumir o governo do estado, subornando auditor da Receita Federal, vejam só!, para fraudar sorteios de seu programa de auditório;
Jandira Feghali (PCdoB): até que há poucas informações ligando Jandira à corrupção. Uma delas, digamos, colateral, foi a sua ausência na votação pela cassação do deputado federal condenado Donadon (PMDB-RO). Ela, apesar de comparecer à câmara no dia, retirou-se mais cedo alegando doença;
Lindbergh Farias (PT): pesam contra ele acusações de desvio de verbas de contratos com empresas contratadas pelo município de Nova Iguaçu (RJ) durante seu mandato como prefeito. Há também investigações de fraude na gestão do Fundo de Previdência dos servidores municipais de lá. Uma outra ação judicial investiga a “compra de decisão judicial” praticada por Lindbergh, que teria separado uma graninha para um desembargador do TJRJ que poderia atrapalhar sua reeleição em 2008. E, de novo, não esqueçamos: ele coloca Lula em seu pedestal de exemplos a seguir…;
Luiz Pezão (PMDB): atuando como vice-governador, auxilia seu parceiro na defesa da empreitera Delta – cujo nome evoca o significado do termo corrupção para os mais antenados nas notícias políticas – além de rasgar elogios às competências de Dilma na tarefa de fazer obras públicas (ela que prometeu 6000 creches em 2010 e não inaugurou nem 2000 até agora…). A propósito, Pezão foi condenado a devolver R$ 29 mil pela compra superfaturada de uma ambulância durante o seu mandato como prefeito do município de Piraí (RJ). Só que ainda restam 4 ações de mesmo teor em tramitação. Além disso, há quem veja ligação dele com o escândalo dos Sanguessugas, que desviou verbas do Min. da Saúde. No mais, ele foi vice de Sérgio Cabral por dois mandatos e está sendo ofertado como seu “continuista”; será que vai querer fazer algo diferente?;
Marcelo Crivella (PRB): com cerca de 1 ano no comando do Min. da Pesca, já investigam Crivella por irregularidades no pagamento da “Bolsa pesca” (diz-se que só no Pará há quase 90 investigações). Filiações de representantes da classe pesqueira ao seu partido vêm se multiplicando;
Miro Teixeira (PROS): não encontrei informações que o liguem a investigações ou acusações de corrupção. Li até que é tido como um dos deputados mais “baratos” dos anos recentes;
Professor Tarcísio Motta (PSOL): sendo figura estreante no partidarismo mainstream, não há muito que se pesquisar e encontrar facilmente sobre o assunto para ele;
Cyro Garcia (PSTU): outro pouco ou nada relacionado às notícias de corrupção. Encontrei apenas uma informação de que ele deporia como testemunha em defesa da deputada estadual Janira Rocha (PSOL) acusada de desviar dinheiro do Sindisprev/RJ para campanha eleitoral e de recolher parte do salário dos funcionários de seu gabinete p/”manutenção do partido”.

Quem quiser encomendar ou mesmo me enviar complementos para o dossiê, faça um comentário informando seu email no formulário que trabalharemos juntos.


Veja também:

Enquete presidencial Eleições 2014

Quando o PSOL bater na janela do teu browser…

Anúncios

7 pensamentos sobre “Dossiê cristão dos pré-candidatos ao governo do RJ

  1. Fala-se muito em cristão.Sou cristã, mas defendo que o estado tem que ser laico.A questão do aborto é delicada,acho que a sociedade deve discutir melhor um assunto bastante complexo.

    • Olá, Soraya!
      Estado laico não significa Estado ateu. Cristãos não brigam por um Estado teocrático (como são os islâmicos).
      Por outro lado, temas morais não são mera paranóia ou assuntos reservados às salas paroquiais. Quem insere a alegação de que “o estado é laico” no debate, geralmente o faz para tentar silenciar o cristão, tentando provocar nele a vergonha da sua fé. Não acho que seja o teu caso, mas preciso ressaltar.

      A questão do aborto é amplamente tratada aqui no meu blog. Clique na tag “aborto” ao lado e confira os muitos textos que contém avaliações de artigos de outras pessoas, discussões pessoais com gente que defende a prática, traduções de artigos internacionais, relatos de participação em eventos, etc.
      Tua opinião em algum(ns) deles será bem vinda.
      Acredite: a sociedade debate – e muito! – esse assunto. Estou de prova.

      Paz e bem

      • “Quem insere a alegação de que “o estado é laico” no debate, geralmente o faz para tentar silenciar o cristão…” Você bebeu???
        Quando se fala em “estado laico” quer dizer: Idiota, sua religião não é e nunca será melhor que a de ninguém. Então respeite!!!

      • Não bebi. Teria você chegado embriagado aqui (embora fosse ainda 09:47h), a ponto de deixar um comentário tão carregado de ira e esvaziado de sentido?

        “Então respeite!!!” – Respeitar quem?

        Releia a minha resposta ao comentário da Soraya e veja que você perdeu o contexto da conversa.

  2. Dossiê Cristão? Quanto julgamento… O dono da verdade que escreveu esse dossiê precisa rever seus conceitos em relação a se intitular indiretamente como “Cristão, Cristo só pregou o amor, não julgou ninguém,amor ao próximo e o perdão, desculpe meu amigo mas esses conceitos apresentados como Cristão estão a galáxias de distância da postura Cristã.Fanatismo da nisso as pessoas se escondem atrás de Cristo para falar besteiras e desferir ataques a tudo que contraria suas idéias atrasadas e preconceituosas.Cristo teria vergonha disso tudo

  3. Pingback: Segundo turno no Rio, segundas chances | O Legado d'O Andarilho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s