O bullying estatal contra o brasileiro


Sentindo-se impotente contra os inimigos mais fortes e com uma imensa carência por atenção, nossos parlamentares vão, neste ano eleitoral, praticando um autêntico bullying contra nós, mirradinhos e fraquinhos cidadãos brasileiros.

Depois da aprovação da “Lei da Palmada”, chega agora a irritante notícia de mais um “refinamento” da força ordinária de segurança pública, a PM. E isso na mesma semana que se divulga que o PV, de forma retardada, quer refazer o plebiscito do desarmamento – que, apesar de ter dado a vitória aos armamentistas, foi solenemente ignorado. Afinal, o valentão não quer que os pirralhos andem armados por aí pra se defender.

placa-cuidado-caoUma reportagem do jornal Gazeta do Povo informa que o projeto de lei “proíbe o uso de arma de fogo contra pessoas desarmadas que estiverem em fuga ou contra veículos que desrespeitem bloqueios policiais em vias públicas, exceto se em algum caso houver risco imediato ao policial de morte ou lesão.”

É monstruoso! Os legisladores pretendem PROTEGER PRIMEIRO a vida de uma pessoa que apresenta comportamento suspeito – com forte possibilidade de ter cometido ou estar em vias de cometer um crime. Mas como é que o policial em serviço vai saber que a “pessoa em fuga” está desarmada? Com detector de metais? Lembrando que até uma faca de cozinha pode ser letal, ainda que não seja vista como armamento.

É admirável que a proposta tenha sido aprovada pela Comissões de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado (CSPCCO) da Câmara Federal. Veja bem: o colegiado de deputados que se diz atento ao crime organizado é quem ora enfraquece o exército de combate à criminalidade urbana. Ao amolecer o policiamento ostensivo, cria-se mais oportunidades de ataques à população, seja por palhaços como black blocs, seja por bandidos de verdade.

Mas, claro, é significativo que o projeto de lei apresentado em 2009 avance na tramitação sincronizado com a Lei da Palmada. O governo federal, como sói todo governo socialista, precisa deteriorar toda a estrura de autoridade da sociedade: seja ela a autoridade dos pais sobre os filhos, dos professores sobre os alunos ou dos policiais (representantes da lei e da justiça)  sobre os criminosos. Toda expressão de autoridade legítima conflita com o projeto autoritário do governo; só o Estado pode ditar regras, mesmo dentro do núcleo mais particular, que é o lar, a família.

Assustados com a força e o destemor dos bandidos – alimentada pelas próprias medidas “humanitárias” governamentais – o Estado opta por descontar a frustração (mais nossa que deles) na Polícia, que é a entidade sob o seu controle.

Não bastasse a impunidade promovida pelo governo da situação (PT e cia), que dificulta o trabalho policial, libera presos para fugas passeios, liberta às pressas os menores de idade e incentiva a ação de bandidos através da promoção do desarmamento da população cidadã, há tempos os legisladores vêm tentando minar o respeito que a polícia tinha perante à sociedade. Nâo dá para não reconhecer que, em parte, a culpa é da corporação, mas planos como este em pauta, e outros como a desmilitarização da polícia militar, soam mais como uma “outra etapa” de um acordo entre governo e crime organizado.

É nessas horas, também, que eu me pergunto se os policiais se reconhecem com cidadãos brasileiros ou apenas como soldadinhos de chumbo, que só se movimentam pelas mãos dos chefes. Se são homens, eleitores, pais de família, seres humanos, como é que não poderiam se indignar com tal acinte? Ao invés de greve, a PM tinha é que tomar de assalto, com suas famílias, a Câmara e exigir a derrubada desse PL.

Vale registrar: um dos argumentos para a medida é diminuir eventuais danos decorrentes de confronto policial com manifestantes. Ao invés de o governo da Dilma assumir uma postura de corrigir-se face à demanda das ruas, a resposta federal dada para o #vemprarua é: estamos trabalhando incessantemente para vocês poderem continuar fazendo suas algazarrazinhas inócuas com mais segurança!

Em tempo de #naovaitercopa, a torcida do Senado é para que o brasileiro continue chutando o cachorro morto da PM.

 

Reportagem do site da Câmara: http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/SEGURANCA/469556-CAMARA-APROVA-NORMAS-PARA-USO-DE-CASSETETES-POR-POLICIAIS.html


Veja também:

Por uma PM ainda MAIS militar!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s