Nem tão claro como o dia

Recebi pela manhã a reportagem que Leandro Resende fez a respeito do 1° Fórum Carioca de Debates Jovens, evento organizado pelas juventudes dos partidos PSC, PSDB, PSD e DEM, do qual fiz parte da execução.

Audiência do 1° Fórum Carioca de Debates Jovens, no salão nobre da Câmara Municipal do Rio.

Audiência do Fórum Carioca de Debates Jovens, no salão nobre da Câmara Municipal do Rio.

Pelo que se lê na matéria, o jornalista ocupou-se mais em confirmar para si os estereótipos pré-concebidos com os quais já chegou ao evento que cobrir o debate em si.

A estranheza começa na contradição de estampar “Nova direita jovem cresce” no título e “PSDB e PSD (n.d.e.: metade dos idealizadores do evento) rejeitam o rótulo” como um dos subtítulos.
Mas a superficialidade fica mesmo exacerbada no resumo da entrevista feita com o jovem Édipo Ázaro,
Continuar lendo

Anúncios

A carapuça serviu

Tomo conhecimento de que foi noticiado no Blog da Dilma, “o maior portal da Dilma Rousseff na Internet”, que a Comunidade Católica Shalom, através de declaração de sua co-fundadora Emmir Nogueira teria lançado uma ofensiva contra Dilma e o PT, conforme a imagem postada na matéria:

***

ATUALIZAÇÃO (01/08/14): Chegou até mim há poucos minutos um desmentido da sra Emmir:

Uma amiga do Shalom me mandou essa mensagem: “É possível que vocês recebam links de um site entitulado blog da Dilma. Fiquem tranquilos. Para evitar uso indevido de imagem já retiraram minha foto. O e-mail foi escrito em 2010, a frase não é minha e o texto que se segue ao email vem de um estudo que fiz com várias citações que, no blog, foram excluídas e o texto colocado como se fosse meu. Peço que ignorem totalmente e que peçam a todos que ignorem. O objetivo deles é provocar polêmica. Agradeço por me atenderem. Emmir”

***

O episódio nos permite fazer uma leitura interessante do momento presente, recordando alguns momentos de um passado nem tão distante.

(Fonte: Blog da Dilma)

(Fonte: Blog da Dilma)

A primeira coisa a ser observada é: o PT enxerga no catolicismo um curral eleitoral em potencial. Seja porque o PT e a CNBB mantém boas – e incômodas – relações estreitas, seja porque já se entranhou (o que, aliás, é consequência do ponto anterior) no meio católico a ideologia socialista conhecida como “teologia da libertação“. Essa “teologia” (aspas aqui nunca são demais), que encanta católicos por toda a América Latina, reflete não só a forma de fazer política do PT, mas a forma de ser petista/esquerdista do povo católico.

Ser petista/esquerdista ou petralha, é viver a máxima que declara que os fins justificam os meios. Alguém poderia duvidar, observando, por exemplo as atitudes de um MST ou MTST, ambos movimentos historicamente parceiros do PT? Ou quem sabe revisar a memória do mensalão?

Aí tem a acusação do blog da Dilma de terrorismo religioso por causa do alerta veemente do perigo de excomunhão. Sim! Para um catolico que ama a Cristo e reconhece a autoridade da Sua Igreja, colocar-se em risco de excomunhão é coisa MUITO séria.

Tudo bem, podemos ir com calma nessa questão. Antes de argumentar, não deixo de lembrar que o PT já se colocou nessa posição de vítima antes. Durante as eleições de 2010, o bravo bispo emérito de Guarulhos, o saudoso D. Bergonzini, comprou a briga com o PT ao distribuir panfletos que chamavam oa católicos à responsabilidade de escolher candidatos que não defendessem o aborto, quesito que acaba por eliminar a candidata à reeleição e a atual presidente, Dilma. A coisa foi tão séria que o PT mandou recolher o material, que depois do período eleitoral foi devolvido.

Sem tirar o mérito do alerta (01/08/14: agora é uma citação de autor desconhecido, ver acima), devemos observar com cautela o que diz o Magistério da Igreja sobre a pena de excomunhão e o crime de aborto.  O Blog da Dilma – fazendo uso não-autorizado do nome da sra Emmir – sacou uma frase que diz que “todo aquele que promover o aborto ou colaborar com ele (e é esse o caso do voto dado ao PT) está automaticamente excomungado“. Bem, a afirmação entre parênteses, de que o voto dado ao PT é colaboração com o aborto, é ponto pacífico entre os agentes pró-vida, entre os católicos mais esclarecidos quanto ao PT e mesmo para os petistas com algum resquício de honestidade, afinal é pauta do PT descriminalizar o aborto, como a Dilma já disse e se esforçou por conseguir, com a nomeação da ministra Eleonora Menicucci. Mas vejamos o que a Igreja Católica diz sobre a excomunhão no seu Catecismo e no Código de Direito Canônico sobre o aborto: Continuar lendo

Dossiê cristão dos pré-candidatos ao governo do RJ

Resolvi fazer uma pesquisa no histórico dos pré-candidatos ao governo do RJ nas eleições 2014, a fim de averiguar e informar meus leitores sobre o posicionamento deles quanto a temas de interesse moral cristão. Eis o resultado do escrutínio:

precandidatos-RJ-2014# Aborto

Cesar Maia (DEM): já ironizou o governador Sérgio Cabral por este ter feito uma interpretação extremista da correlação com alta taxa de natalidade e criminalidade – oferecendo maior acesso ao aborto como solução – que leu no ensaio de economistas americanos. Apesar de ser acusado de não ter feito muita coisa para fechar clínicas clandestinas de aborto, baixou o decreto 25.745/05 que, desafiando a portaria 1508/05 do Min. da Saúde, conservava a exigência de B.O. para casos de alegado estupro. Cavando um pouco mais fundo nos registros históricos políticos, descobre-se que ele foi deputado constituinte, ou seja, participou dos debates e votações que nos legaram a atual Constituição Federal (de 1988); o site da Associação Nacional Pró-vida e Pró-família avisa que César Maia (então filiado ao PDT) SE ABSTEVE da votação para o destaque que pretendia proteger a vida desde a concepção;
Garotinho (PR): espera-se de um político cristão confesso (ainda mais quando faz da religião sua plataforma) que seja contrário ao aborto. Infelizmente eles costumam desafiar esta lógica elementar (militontos do PT que o digam!). Entretanto, não parece ser o caso de Anthony Garotinho, já que conta-se por aí que no ano passado ele aventou no Congresso um referendo para consulta popular ao assunto, além de ter ficado ao lado dos conservadores na disputa com o STF quando aprovou o aborto de bebês anencéfalos;
Jandira Feghali (PCdoB): de pronto, a pesquisa retorna que a candidata se auto intitula “histórica defensora do direito ao aborto”. Nenhuma surpresa, ao se considerar o “C” da questão (no nome do partido). E não é blefe. Enquanto deputada federal, fez “o diabo” (como diria Dilma) para liberar geral o assassinato de seres humanos inocentes;
Lindbergh Farias (PT): outro que não nos surpreende quando o assunto é moralidade cristã, dado o partido. Comprometido com o socialismo, não “pisa fora da faixa”. Votou contra a PEC 25/95 que visava explicitar a defesa da vida desde a concepção na CF;
Luiz Pezão (PMDB): Esboçou simpatia por D. Orani quando este assumiu o arcebispado do Rio de Janeiro e ele era o governador em exercício. Sabem como é: PMDB é um primo tímido do PT, então podemos talvez esperar o velho truque de bajular primeiro, trair depois. Não encontrei, de pronto, referências cruzadas dele com o aborto. No mais, ele foi vice de Sérgio Cabral por dois mandatos e está sendo ofertado como seu “continuista”; será que vai querer fazer algo diferente?;
Marcelo Crivella (PRB): Aqui está uma figura dúbia quanto ao assunto. Já deu declarações sendo contra, já foi apontado em oposição ao seu tio e líder da seita protestante “Igreja Universal” (que tem forte influência no partido) Edir Macedo, que é declaradamente favorável ao aborto. No passado, nos idos de 2010, figurou entre os defensores da então candidata Dilma, quando sofria os justos ataques dos cristãos por causa do tema;
Miro Teixeira (PROS): Um livro de antropologia urbana lançado em 1999 contém um quadrinho de opiniões dos candidatos ao governo do RJ daquela época. Lá, Miro Teixeira aparece com tendo respondido favoravelmente à legalização do aborto (vale frisar que isso é sempre pior que a mera descriminalização). Ele, assim como César Maia, foi deputado constituinte, só que, demonstrando firmeza de convicção, votou NÃO para o destaque pró-vida;
Professor Tarcísio Motta (PSOL): um desconhecido, trabalhando para um partido com conhecida preferência pelo aborto. Professor de história no Colégio Pedro II. Pelo que o seu facebook me contou, é amigo/apoiador de abortistas. Mas, claro, ainda que se diga contrário, vindo por onde vem, comunista do jeito que é, não acreditem;
Cyro Garcia (PSTU): Já defendia a descriminalização do aborto em sua campanha pela prefeitura do Rio de 2012.

# Gayzismo
Continuar lendo

Entrevista: Cibele Baginski, presidente do novo ARENA

No último sábado (23/02) tive a oportunidade de conversar com a presidente da nova versão do partido ARENA (Aliança Renovadora Nacional), Cibele Bumbel Baginski, que visitou o Rio de Janeiro, como parte da agenda da “turnê nacional” de oficialização dos comitês estaduais.

Durante a entrevista, coletei informações mais oficiais impossíveis sobre temas de interesse do eleitorado católico conservador, Transcrevo a seguir as perguntas e respostas, para que possam conhecer um pouco mais dessa recente promessa para a política brasileira.

Cibele-ARENA-2Legado do Andarilho: Por que fundar um novo partido, ao invés de organizar um grupo de conservadores pra injetar em outros partidos, de expressão, mas que sejam “menos à esquerda”, mais de centro?

Cibele Baginski: Olha, isso até o Olavo de Carvalho já comentou várias vezes. Isso é estratégia gramcista (N. do E.: referente a Antonio Gramsci), de infiltrar em outros setores alguma coisa. O Olavo deu essa sugestão, ele acha, ele falou no True Outspeak que talvez fosse realmente mais fácil fazer isso; só que talvez fosse, mas olhando a estrutura de como os outros partidos são, eles barram, chega a um certo ponto, tu não vai conseguir subir e tomar conta de um partido desses, ou colocar boas práticas porque tem tanta gente que não condiz com o que tu gostaria de fazer, que simplesmente vai dar um jeito de te cortar. Tu não vai conseguir. Eu fui do Democratas (DEM) e ali não tem condições. Eu quase entrei no PP. Não tem condições. Os partidos funcionam de uma forma muito parecida, todos eles. Eu e o grupo que me ajudou a elaborar aquele estatuto ali, o João (N. do E.: João Manganeli, outro dos fundadores, que também estava presente na reunião), a gente varreu os estatutos de todos os partidos, desde o PCO até o PP, o DEM e todos os outros. Todos eles têm uma sistemática muito parecida, mudam prazos, muda números de membros de diretório, mas toda a sistemática é parecida. É por isso que dão todos os mesmos problemas, que todos eles têm.

LA: Tá certo… Então, diz pra gente no que que esse novo ARENA é diferente do anterior. Uma das primeiras polêmicas foi justamente a idéia que as pessoas de hoje, da nossa geração mais nova, têm do que foi a ditadura, etc. No que vocês se vêem diferente do ARENA antigo?

CB: Essa sigla,
Continuar lendo

Iniciativa de criação de partido conservador

(Fonte: G1- Jovens estudantes tentam refundar partido símbolo da ditadura militar)

Extinta há mais de 30 anos com o fim do bipartidarismo no Brasil, a Aliança Renovadora Nacional (Arena) pode voltar à ativa nas mãos de jovens e com uma cara “nova”. O estatuto e o programa do novo partido foram publicados no Diário Oficial da União na última terça-feira (13), cumprindo um dos passos burocráticos para o registro da legenda.

A Arena foi fundada originalmente em abril de 1966 dentro do sistema de bipartidarismo imposto pelo regime, que extinguiu outros 13 partidos que existiam antes. Enquanto a Arena sustentava o governo militar, fazia oposição no Congresso o Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Continuar lendo

Votação da PEC 23/2007 na ALERJ

Em (segunda) discussão apesar de tudo, ordenada, presidida pelo deputado Paulo Melo (PMDB), a PEC 23/2007 assinada pelo deputado Gilberto Palmares (PT) foi à votação por volta das 21hs nesta terça-feira 21/06/2011 na ALERJ.
Segunda porque já havia passado por apreciação da casa anteriormente, quando somente dois deputados votaram contra, pelo que parece.

Esta PEC (Proposta de Emenda Constitucional) pretendia incluir “orientação sexual” entre as características pelas quais um cidadão não pode ser discriminado, segundo a Constituição do Estado.

Estive cobrindo a sessão através do twitter, tecendo comentários às declarações dos deputados Átila Nunes (DEM), Luiz Paulo (PSDB), Flávio Bolsonaro (PP), Janira Rocha (PSOL), Gilberto Palmares (PT), Wagner Montes (PDT), Marcelo Freixo (PSOL), Márcio Pacheco (PSC). A partir daí, atingi o limite de 350 mensagens por hora e o twitter solicitou que eu ficasse quieto por um tempo 🙂
Voltei pouco depois continuando a comentar, quando falava o deputado Édino Fonseca (PR)

Segue o que sobrou de comentários após o twitter solicitar que eu parasse de tentar postar.
Deixei o twitter e anotei quanto pude dos discursos abaixo.
Meus comentários anteriores, da participação dos outros deputados, podem ser vistos consultando a hashtag #ContraPEC23 no twitter.

# Cidinha Campos (PDT): Continuar lendo